Publicado em 23/03/2018 as 3:00pm

Demissões teriam sido motivadas por dono querer retomar domínio da Abr

Desde o início da semana, a comunidade brasileira em Massachusetts tenta entender o que...

Demissões teriam sido motivadas por dono querer retomar domínio da Abr Ilma Paixão ao lado de Alex Langer em recente evento que os dois participaram juntos.

Desde o início da semana, a comunidade brasileira em Massachusetts tenta entender o que realmente aconteceu para que Ilma Paixão Jehozadak Pereira fossem demitidos da Abr, a rede de Rádio Brasileira. O que mais chamou a atenção foi que a polícia foi acionada para acompanhar todo o processo, desde a chegada do advogado do proprietário da empresa, Alex Langer, até a saída dos demitidos.

O Brazilian Times conversou com uma pessoa que acompanhou toda a história e afirmou que a demissão foi justa. Sob pedido de não ter o seu nome divulgado, esta fonte relatou que a demissão já devia ter acontecido há três. “Mas na época em que tudo estava preparado, Ilma conseguiu contornar a situação e convencer Langer de não demiti-la”, afirma.

Segundo a fonte, a história toda começou há cerca de cinco anos, quando Langer ficou doente e Ilma conseguiu uma autorização para assumir a direção da empresa. “Ninguém entendeu nada. Da noite pro dia, ela se tornou a chefona da rádio e começou a fazer muitas mudanças”, disse.

De acordo com a fonte entrevistada pelo Brazilian Times, tanto Langer, que tem 57 anos, quanto sua mãe de 92 anos de idade, têm muito medo de Ilma. Ela não revelou os motivos, mas assegurou que a ex-diretora tinha um domínio enorme sobre os dois e também sobre o controle da empresa deles. “Ilma tinha controle sobre tudo, até sobre a vida pessoal e o telefone celular dele”, continua.

No momento da demissão, Langer ficou do lado de fora da rádio, em sua cadeira de rodas, esperando que Ilma, Jehozadak e o advogado Niles Lang deixassem a emissora. Após a saída, o dono entrou, passou pelo corredor e seguiu até sua sala.

Com o passar do tempo, segundo a testemunha, Langer perdeu todo o controle da sua empresa e não sabia nem quanto a emissora faturava. “Quando ele acordou e viu que algo estava errado, que alguns pastores e pessoas que tinham programas há anos foram perseguidos e perderam o espaço que tinham, mesmo sendo fiéis com o pagamento”, afirma.

A fonte não confirmou, mas também não negou que a decisão de Langer tenha sido influenciada por estas perseguições. “Ilma fez muitos inimigos ao longo destes anos, cortando horários, fazendo proibições e exigências”, disse.

SEGUNDA TENTATIVA

A demissão aconteceu somente na segunda tentativa, de acordo com a fonte. “Desta vez, Langer conversou muito com seu advogado, elaborou uma estratégia e agiu somente quando teve a certeza de que daria tudo certo”, fala ressaltando que ele passou até por uma preparação psicológica.

Em relação à presença da polícia, foi devido ao medo que Langer tinha de Ilma reagir. “Ele tinha muito medo dela”, afirma.

Thales Paulino, um ex-funcionário da emissora, também estava no local e após a demissão, ele foi apresentado como novo diretor da Abr.

De acordo com uma fonte que pediu para não ser identificado, a história é ainda mais complicada do que uma simples demissão. “Haverá até brigas judiciais”, disse.

RÁDIO BRASILEIRA

Após a demissão, alguns boatos surgiram no Facebook de que Langer teria como plano demitir todos os brasileiros e acabar coma “Rádio Brasileira”. Mas em um comunicado publicado na fanpage da emissora ele afirmou que a sua empresa continua mais brasileira do que nunca: “O Langer Broading Cast Group e a rede Abr - A Rádio Brasileira – comunica a todos os nossos parceiros, imprensa e aos nossos estimados ouvintes que as emissoras de rádio estarão sob nova gestão administrativa. É com imensa alegria que também recebemos de volta à casa o presidente do grupo, senhor Alex Langer, após enfrentar alguns problemas de saúde que o impossibilitaram estar presente na rotina de suas empresas. Novidades incríveis estão a caminho para este ano de 2018 e a sua Abr continua brasileiríssima, conduzida por gente terra”.

ATITUDES POSTERIORES

Após assumir a direção, a nova direção trocou todas as fechaduras da emissora, mudou as senhas dos computadores e Langer também mandou trocar as fechaduras das portas de sua casa.

O Brazilian Times tentou conversar com Ilma, mas ela não respondeu aos chamados. Jehozadak, apesar de ter conversado com o BT assim que a história se tornou pública, não atendeu aos chamados seguintes. Thales também não quis falar sobre o assunto.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News