Publicado em 24/03/2018 as 8:00am

Polícia chama o ICE para hair stylist brasileiro em Saugus (MA)

Batista só não foi preso porque apresentou uma passagem para o dia 1º de abril.

Polícia chama o ICE para hair stylist brasileiro em Saugus (MA) Batista grava vídeo para contar sua experiência e alertar a comunidade.

Na terça-feira, dia 20, o hair stylist Batista GC Ecrasante passou por uma experiência que jamais pensou que viveria. Ele estava na Rota 01, a caminho do Walmart de Saugus (Massachusetts) para fazer algumas compras quando foi abordado por uma viatura policial. “O policial acionou a sirene a sirene e as luzes da viatura e ordenou que eu encostasse o veículo”, fala.

Até ai tudo bem, pois parecia uma abordagem rotineira, mas quando Batista entregou ao oficial o passaporte italiano e o registro do carro, foi que a pressão começou. O policial percebeu que ele não tinha autorização para estar no país e imediatamente acionou o Immigration and Customs Enforcement (ICE).

Quando os agentes federais de imigração chegaram ao local perguntaram quem era Cleverson, nome em que o carro estava registrado. Batista disse que era seu companheiro e neste momento o oficial perguntou onde ele estava. “Eu disse que meu marido estava trabalhando e os agentes insistiram para que eu os levasse até ele para prendê-lo, junto comigo”, disse.

Em uma live publicada em sua página no Facebook, Batista fala que só não foi preso porque apresentou uma passagem já comprada para o dia 1º de abril. “Eles checaram se ela era verdadeira e disseram que eu devo sair no país na data marcada”, fala ressaltando que eles estarão no aeroporto para checar se eu sairei mesmo.

Segundo Batista, foram quase duas horas de conversa com os agentes e a experiência serviu para que ele fizesse um alerta para a comunidade. No mesmo vídeo em que relata os momentos de tensão, ele conta a história de um casal que também passou pelo mesmo problema, mas no estado de New Hampshire.

Ele fala que o casal foi parado pela polícia no dia 17 e o oficial acionou o ICE. Quando os agentes de imigração chegaram, fizeram todo o procedimento e marido, mulher e filho receberam a ordem de deixar o país em 20 dias. “Eles estão sob monitoramento eletrônico”, fala.

Batista faz um alerta para os brasileiros ficarem atento, pois a polícia está chamando o ICE para qualquer caso. “Como eles não podem perguntar o nosso status, chamando os agentes de imigração”, afirma.

Fonte: Redação - Brazilian Times