Publicado em 26/03/2018 as 2:00pm

BRIGA DE GALO

ICE prende indocumentados em rinha ilegal no Arkansas.

BRIGA DE GALO Com a chegada dos agentes à rinha de galos, muitos indivíduos tentaram fugir a pé, mas foram posteriormente capturados.

Agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE), em parceria com o Setor de Investigações de Texarkana do Departamento de Segurança Nacional (DHS), o escritório do xerife do Condado de Sevier, Polícia Estadual do Arkansas, Departamento de Proteção Ambiental, Setor de Operações Aéreas e Marítimas do Departamento de Alfândega e Fronteiras (CBP) desmantelaram uma rinha ilegal de galos.

De acordo com as informações divulgadas pelo jornal Brazilian Voice, o mandado de busca foi a etapa final da investigação de um ano e meio de duração. Tendo como base investigações similares, os agentes calculavam a prisão de 30 a 40 indivíduos que participariam da “rinha”, sendo alguns deles indocumentados. Após chegarem ao local e decretarem ordem de prisão, os agentes encontraram 134 pessoas no evento, sendo que 120 foram detidas e 14 liberadas. Inúmeras pessoas tentaram fugir a pé, fazendo com que a ajuda da CBP Air fosse fundamental na localização de detenção dos fugitivos.

Os agentes especiais do HSI Texarkana estão dedicados ao processo de identificação dos 120 indivíduos, assim como a verificação do status migratório deles.

Devido ao número inesperado de participantes da “rinha”, outros agentes e funcionários de outros escritórios do HSI no Arkansas foram convocados para prestar assistência. O HSI Texarkana emitiu ordens de detenção para os indivíduos que burlaram as leis migratórias. Além disso, os interrogatórios dos suspeitos resultaram na suspeita de ocorrência de diversas violações trabalhistas. Em decorrência disso, serão realizadas auditorias Worksite I-9 tendo em vista as informações obtidas durante a batida na “rinha de galos”.

O HSI Texarkana apresentará acusações criminosas federais e administrativas, caso seja apropriado. “Eu estou extremamente orgulhoso do trabalho do agente especial Jeremy Ridenour, o agente residente J.P. Moseley e os funcionários do HSI em Arksansas nessa operação”, disse o agente especial Nick Nelson. “Este esforço colaborativo não somente recebeu apoio imediato das autoridades federais ao nosso estado e parceiros locais, como também resultou em pistas investigativas que se alinham com as prioridades do HSI. Foi uma situação benéfica em todos os sentidos”.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News