Publicado em 28/03/2018 as 1:00pm

Censo 2020 vai perguntar sobre o status de cidadania dos entrevistados

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira, dia 26, que irá...

Censo 2020 vai perguntar sobre o status de cidadania dos entrevistados Questão sobre cidadania será incluída no census em 2020

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira, dia 26, que irá restaurar uma questão sobre cidadania no questionário do censo de 2020. Em um memorando de oito páginas, o secretário Wilbur Ross disse que o Departamento de Justiça solicitou que o recenseamento pergunte quem é cidadão “para ajudar a determinar possíveis violações da Lei dos Direitos de Voto” e ajudar a aplicar essa lei.

Hansi Lo Wang, um correspondente nacional da National Public Radio (NPR), reportou a preocupação de algumas pessoas em relação ao assunto. “Muitos observadores do censo, ex-diretores e outros especialistas disseram que estão muito, mas muito preocupados pois já existe muito sentimento anti-imigrante, e as pessoas já estão muito preocupadas em fornecer informações pessoais ao governo federal. Agora, se houver uma questão de cidadania acrescentada às perguntas do Censo, muitos imigrantes, não apenas os indocumentados, mas qualquer um que talvez tenha laços com pessoas que estão em situação irregular no país, se recusarão a responder. Portanto não seriam contados, e isso tem impactos diretos sobre como as pessoas são representadas neste país”, disse.

"Todos os números do censo são usados para determinar a proporção de assentos no Congresso, especificamente na Câmara dos Representantes, e esses números também têm impacto sobre como bilhões de dólares são distribuídos pelo país, a nível federal até o nível local, etc. Isso pode ter um impacto realmente grande se os imigrantes não participarem do censo em 2020", continuou.

A última vez que uma pergunta sobre cidadania foi incluída no questionário do censo foi 1950. Essa pergunta é feita no American Community Survey anual, que abrange cerca de 3,5 milhões de pessoas.

O procurador-geral da Califórnia, Xavier Becerra, afirmou em um comunicado que o Estado vai processar a administração de Trump pela decisão de acrescentar uma questão de cidadania ao censo de 2020. "Ter uma contagem precisa do censo deve ser da maior importância para todos os californianos. Os números do censo fornecem a espinha dorsal para o planejamento de como nossas comunidades podem crescer e prosperar na próxima década. A Califórnia simplesmente tem muito a perder se permitirmos que a administração Trump acabe com essa importante obrigação decenal. O que a administração Trump está solicitando não é apenas alarmante, é uma tentativa inconstitucional de desencorajar uma contagem precisa do censo", disse.

A deputada democrata Grace Meng, de New York, também divulgou um comunicado sobre o assunto: "Estou profundamente desapontada com o secretário Ross, e agora vou procurar introduzir uma legislação para impedir que essa questão seja incluída no censo".

Em janeiro, grupos que defendem os direitos dos direitos questionaram a necessidade de acrescentar a pergunta sobre cidadania no Census, alegando que isso não é necessário para que as autoridades apliquem a lei do direito de voto.

Mas em um memorando, Ross rejeitou os argumentos de que a pergunta reduziria a probabilidade de que os residentes indocumentados escolheriam não ser contados por medo de que as suas informações pessoais pudessem ser usadas para fins de aplicação da lei de imigração.

Apesar do secretário tentar acalmar os ânimos muitos veem como estratégia cruel o fato dele afirmar que vai colocar a questão sobre cidadania na posição do formulário.

Fonte: Redação - Brazilian Times