Publicado em 9/07/2018 as 7:00pm

Imigrante indocumentada pega 95 anos por crimes cometidos para gangue MS-13

Uma mulher de 20 anos de idade que vive ilegalmente nos Estados Unidos e é natural de El...

Imigrante indocumentada pega 95 anos por crimes cometidos para gangue MS-13 Josselin Ramirez é condenada a 95 anos de prisão.

Uma mulher de 20 anos de idade que vive ilegalmente nos Estados Unidos e é natural de El Salvador, se declarou culpada por uma longa lista de crimes que cometeu com a gangue MS-13 no estado de Maryland. Ela foi condenada a 95 anos de prisão.

De acordo com as informações, Josselin Ramirez começou sua carreira criminosa em El Salvador, onde se envolveu num esquema para emboscar e matar um policial e um membro de uma gangue rival. Ela tinha apenas 13 anos de idade quando ajudou a atrair o policial até a mira de seu comparsa, da MS-13.

A imigrante se mudou para os Estados Unidos em 2013 e se estabeleceu em Temple Hills, Maryland, onde se encontrou com membros da MS-13 e retomou suas atividades violentas.

Entre outros crimes, ela esteve envolvida em meia dúzia de roubos na área em que morava antes de ser presa em 2017.

Ramirez se declarou culpada de três acusações de conspiração para cometer assalto à mão armada e três acusações de participação em um crime relacionado a gangues.

Durante o julgamento foram apresentadas fotografias dela segurando as armas usadas nos crimes.

Seu papel nos crimes era entrar na empresa, examinar o ambiente, a segurança e a localização das câmeras, para que os outros membros da gangue pudessem executar o crime. Então, vários membros armados entrariam nos negócios e, essencialmente, assumiriam o controle, mantendo funcionários e clientes sob a mira de uma arma enquanto os outros pegavam dinheiro e valores.

Depois, Ramirez limparia as armas e se livraria de qualquer evidência.

Em sua sentença, o juiz Tribunal do Condado de Montgomery, John M. Maloney, observou que Ramirez poderia ter deixado a vida de gangue para trás quando se mudou para os Estados Unidos. Em vez disso, ela se juntou voluntariamente a uma filial local da MS-13 e "adotou o estilo de vida novamente".

Na sentença, o juiz Maloney disse a Ramirez: "Você é um ser humano assustador". "Você precisa ser trancafiada para não prejudicar os outros."

Fonte: Redação - Brazilian Times