Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 7/11/2018 as 12:00pm

Começa julgamento de acusado de assassinar brasileira em NY

A mãe de Karina Vetrano, a jovem estrangulada quando foi correr em um parque no Queens há dois...

Começa julgamento de acusado de assassinar brasileira em NY Suspeito da morte de brasileira começa a ser julgado.

A mãe de Karina Vetrano, a jovem estrangulada quando foi correr em um parque no Queens há dois anos, soluçou e apertou uma cruz enquanto o promotor descrevia em detalhes como sua filha foi assassinada.

O assassinato de Vetrano foi cruel, conforme relatou o promotor em suas declarações iniciais nesta segunda-feira, dia 05, durante o julgamento do acusado.

Segundo a denúncia, a brasileira foi agarrada enquanto corria ao longo de uma parte isolada de Spring Creek Park, em Howard Beach, no dia 2 de agosto de 2016. Seu assassino a socou no rosto, jogou-a ao chão e violentamente a agrediu sexualmente antes de estrangulá-la até a morte, de acordo com as autoridades.

A mãe de Karina Vetrano, a jovem estrangulada quando foi correr em um parque no Queens há dois anos, soluçou e apertou uma cruz enquanto o promotor descrevia em detalhes como sua filha foi morta.

O assassinato de Vetrano foi cruel, disse o promotor em suas declarações iniciais na segunda-feira no julgamento de Chanel Lewis.Ela foi agarrada enquanto corria ao longo de uma seção isolada e pantanosa de Spring Creek Park em Howard Beach em 2 de agosto de 2016. Seu assassino a socou no rosto, jogou-a no chão e violentamente a agrediu sexualmente antes de estrangulá-la, conforme as autoridades.

Vetrano morreu naquele pântano, a cerca de um quarteirão da sua própria casa. Ela tinha apenas 30 anos de idade. As autoridades disseram que ela lutou ferozmente por sua vida. Seu pai fazia parte do grupo de busca que descobriu o seu corpo.

Passariam quase seis meses antes que a evidência de DNA encontrada debaixo de suas unhas levasse a uma prisão.

O homem preso foi Lewis. Ele se declarou inocente do assassinato. Seus advogados disseram que uma confissão gravada - durante a qual Lewis admite que matou e espancou a brasileira, mas nega uma agressão sexual - foi erroneamente produzida e não deve ser admissível no julgamento.

Lewis enfrentará uma pena de prisão perpetua se for considerado culpado. Sua família estava no tribunal segunda-feira para as declarações de abertura do julgamento.

Fonte: Redação - Brazilian Times