Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 19/07/2019 as 1:30pm

Pastor brasileiro luta para liberar a esposa detida pelo ICE

Desde o final de agosto de 2018, os pastores brasileiros Marco Antônio Aragão e Alice Akemi...

Pastor brasileiro luta para liberar a esposa detida pelo ICE Foto de Alice Akemi divulgada no site da campanha

Desde o final de agosto de 2018, os pastores brasileiros Marco Antônio Aragão e Alice Akemi Fukuda Aragão sofrem consequências por terem acolhido um casal de sem-teto na residência deles em Newark (NJ). Segundo o líder religioso, em julho do ano passado, ele tomou conhecimento do caso da filha de uma imigrante brasileira, cujo marido havia sofrido três enfartos, que estava dormindo nas ruas da cidade. Comovido, ele acolheu a mulher (o nome foi omitido) na residência dele durante o período de dois meses, até que, com a ajuda do líder religioso, ela conseguiu um apartamento subsidiado pelo governo.

Entretanto, logo que a mulher saiu da casa dos pastores, a mãe dela (nome também omitido), de 70 anos, natural de Minas Gerais, e o padrasto dela, um jamaicano de 45 anos, bateram à porta deles pedindo abrigo. Novamente comovidos, os brasileiros também receberam o casal. Uma vez instalados na sala da residência, a senhora começou a implicar com todos os moradores no imóvel, e até vizinhos no quarteirão, além de dar ordens, relatou Aragão à equipe de reportagem do BV.

“Ela costumava dizer: ‘Quero ver quem vai me tirar daqui!” Disse Aragão ao BV.

Como as orações não resolveram, Aragão e a esposa tentaram solucionar o caso na justiça, sem obter sucesso. Em 6 de junho desse ano, o Pastor chegou à casa e encontrou a idosa sozinha, trajando calças compridas e somente sutiã. Intrigado ele perguntou a ela o que havia ocorrido e onde estava a esposa dele. Ela respondeu-lhe que Alice a havia “agredido”. Momentos depois, a esposa de Aragão retornou a casa e relatou que havia sido agredida fisicamente pela senhora e, portanto, foi buscar refúgio na residência de um vizinho. Logo atrás dela; dois policiais chegaram ao local depois de terem recebido a denúncia de agressão. Como Marco Antônio não estava na residência no momento do incidente, ele não foi interrogado pelos agentes.

Após interrogarem Alice e a senhora que fez a denúncia, eles levaram Alice algemada para a penitenciária em Clifton (NJ), apesar de o incidente ter ocorrido em Newark.  Posteriormente, a senhora retirou a queixa policial contra Alice. Enquanto Aragão tentava a liberação da esposa, agendada para 12 de junho, ele foi informado que Alice havia sido transferida para o centro de detenção do Departamento de Imigração (ICE) no Condado de Hudson, em Kearny (NJ). Ironicamente, o casal de sem-teto ainda permanece na residência do casal de missionários.

Campanha

Na luta contra o tempo, Aragão conseguiu adiar a audiência da esposa de quarta-feira (10) para quarta-feira (31). Ele detalhou que a fiança para liberar a esposa poderá ser estabelecida entre US$ 10 mil a US$ 15 mil, além dos custos com advogado. Em virtude disso, na quinta-feira (11), ele iniciou no website GoFundMe.com a campanha beneficente: https://www.gofundme.com/f/ajudar-alice-akemi; cujo objetivo é angariar US$ 20 mil. Até à tarde de sexta-feira (12), haviam sido arrecadados US$ 155.

Caso seja liberada, Alice ficará temporariamente no Centro de Capelães em North Arlington (NJ), enquanto aguarda o desfecho do caso.

Fonte: Redação Braziliantimes

Top News