Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 17/01/2020 as 4:00pm

Miami vira paraíso para famosos brasileiros terem bebês americanos

Thammy Miranda engrossou a lista de famosos que escolheram Miami para ter um filho...

Miami vira paraíso para famosos brasileiros terem bebês americanos Claudia Leitte, Thammy Miranda e Karina Bacchi estão entre os famosos que escolheram Miami para ter filhos.

Thammy Miranda engrossou a lista de famosos que escolheram Miami para ter um filho norte-americano. Karina Bacchi e Claudia Leitte também deram à luz na cidade norte-americana O tratamento completo, incluindo hospedagem, internação e parto, não sai por menos de R$ 120 mil

Todo bebê que nasce nos Estados Unidos é cidadão deste país, mas só pode pedir residência permanente aos pais a partir dos 21 anos Thammy Miranda tornou-se pai no dia 08, em Miami, no mesmo hospital em que Karina Bacchi deu à luz seu primeiro filho. 

Claudia Leitte também embarcou até Miami para o parto de sua caçula. A cidade, localizada no estado da Flórida, virou um paraíso para famosos e endinheirados terem bebês americanos.

Quem quer realizar o parto em solo norte-americano precisa de uma boa quantia de dinheiro. Um investimento que não sai por menos de R$ 120 mil - essa quantia pode ser bem maior dependendo de algumas intercorrências. O valor inclui hospedagem, aluguel de veículos e imóveis, atendimento médico e internação. Famílias ricas do Norte e Nordeste brasileiros veem em Miami uma opção melhor.

Desde 2014, o médico brasileiro Wladimir Lorentz auxilia mulheres que desejam engravidar e dar à luz na Flórida. Karina, Claudia e Andressa Ferreira, mulher de Thammy, procuraram o pediatra, que mora nos Estados Unidos há 35 anos e criou o programa Ser Mãe em Miami. O serviço atendeu a 240 mulheres no ano passado e 1.400 desde sua criação.

"Convidei a Karina para conhecer o nosso serviço. Temos um grupo no WhatsApp com os pacientes e ela se deu conta de que estavam muito felizes, e se sentiu segura. Estou certo de que se ela tiver o segundo bebê será conosco também. Thammy procurava serviços de fertilização. Ofereceremos esse serviço com uma tecnologia avançada para que as pessoas engravidem mais rápido. Dito e feito, Andressa engravidou na primeira. Claudia Leitte tem uma história diferente. Uma família baiana que mora aqui e é muito amiga dela achou que a cantora deveria me conhecer, e ela gostou", diz Lorentz ao sito do UOL.

O serviço, destinado inicialmente a brasileiros, se estendeu a pacientes de outros países latino-americanos, como Venezuela e Colômbia. A mulher do jogador colombiano Fredy Guarín, volante do Vasco, também optou por dar à luz em Miami.

Bebês americanos

Todo bebê que nasce nos Estados Unidos, segundo a Constituição local, é um cidadão americano. Embora o presidente Donald Trump tenha endurecido as regras para a imigração, o governo aprova a procura cada vez maior de famílias que desejam ter filhos norte-americanos —afinal, serão futuros eleitores e pagadores de impostos.

O pediatra que atende às celebridades brasileiras afirma que nenhuma delas escolheu Miami com o objetivo de ter um bebê cidadão dos Estados Unidos, embora muitas famílias tentem burlar a legislação e até planejam esperar que a criança complete 21 anos, idade mínima para solicitar aos pais o Green Card (residência permanente).

O programa destinado às futuras mães de bebês americanos também conta com um suporte jurídico para quem tem dificuldades com o visto (permissão para entrada nos Estados Unidos). Grávidas são liberadas com o visto de Negócios e Turismo.

Claudia Leitte, por exemplo, teve problemas ao tentar solicitar o visto por intermédio de uma empresa e foi reprovada. O advogado do Ser Mãe em Miami, Alexandre Piquet, a socorreu.

O profissional ressalta que as mulheres que desejam dar à luz em Miami, inspiradas nas celebridades, não devem ter como objetivo principal a conquista da cidadania americana, porque este é um direito exclusivamente do bebê.

"Eles fazem essa diferenciação porque os pais têm a criança e voltam ao país de origem. Querem coibir a mãe que entra de maneira ilegal, ou entra legalmente e fica ilegal e espera a criança completar 21 anos para pedir o Green Card. O benefício para os pais é receber um tratamento médico de qualidade. Havia uma clínica que incentivava mães russas a virem para ter benefícios da saúde, e forjavam documentos para isso. Mães mexicanas ou latinas cruzam a fronteira e ficam aqui ancoradas nos filhos, por isso são chamados de 'bebês-âncoras'", explica o advogado.

Fonte: Redação - Brazilian Times.

Top News