Publicado em 6/03/2012 as 12:00am

Profissionais brasileiros investem em intercâmbio nos EUA

Empreendedor imobiliário comemora experiência após retornar dos EUA. Cerca de 215 mil pessoas fizeram o mesmo investimento em 2011.

Com o crescimento econômico e a queda do dólar e do euro, a procura por intercâmbios tiveram um aumento de 50% no país. De acordo com Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta), somente em 2011 cerca de 215 mil pessoas deixaram o Brasil com o objetivo de aprender uma nova língua, conhecer outras culturas e ter vivência profissional no exterior.

Entre elas, estava o empreendedor imobiliário Leandro Daher da Costa, que decidiu fazer um curso de inglês nos Estados Unidos, mas também investiu em um curso na área de corretagem de imóveis. “Sinto-me mais experiente depois que fiz o intercâmbio lá. Se não tivesse feito talvez não tivesse tanta firmeza como empreendedor”, acredita.

Após retornar de viagem, Leandro Daher decidiu implantar na capital o mesmo curso que ele realizou no exterior. “Tem uma cultura nos EUA onde o corretor representa o comprador. Nós trouxemos esse curso para Goiânia e ele foi muito bem aceito no mercado”, comemora.

Segundo agências de viagens que vendem pacotes para o exterior, os cursos de inglês e espanhol continuam sendo os mais procurados. Entretanto, os países de língua germânica ainda são os destinos mais cobiçados. Em 2011, os intercâmbios mais solicitados foram para o Canadá, Inglaterra e Estados Unidos, onde o preço médio em torno de R$ 6 mil, incluindo acomodação, passagem e aulas do idioma local.

A diretora de agência de viagens, Mariana da Costa Mesquita, acredita que o intercâmbio traz uma série de benefícios pessoais e profissionais. “Hoje em dia as empresas contratam candidatos que principalmente fale inglês e tenham uma vivência internacional. Esse tipo de viagem agrega muito nesse quesito”, afirma.

Fonte: (DA REDAÇÃO)