Publicado em 10/04/2012 as 12:00am

Veja cinco erros cometidos nos primeiros meses de trabalho e saiba como evitá-los

Veja cinco erros cometidos nos primeiros meses de trabalho e saiba como evitá-los


Os primeiros meses de trabalho na nova empresa são determinantes para o futuro do profissional. Esse período de experiência é utilizado pelas organizações para observar, avaliar e verificar se o trabalhador recém-contratado tem realmente condições de exercer a função para a qual foi admitido.

"Neste momento, os holofotes estão direcionados para o novo funcionário. A chefia é a responsável pela avaliação, mas a equipe também participa mesmo que seja de maneira informal", explica Andrea Bavier, consultora de recursos humanos da Luandre.

A especialista apontou os cinco erros mais comuns cometidos pelos recém-contratados e que acabam prejudicando sua avaliação e colocando em "xeque" o futuro na nova empresa. Confira as dicas para não fazer feio:

Desinteresse

Um dos erros cometidos pelos recém contratados é não demonstrar interesse na realização das tarefas. O profissional deve assumir uma postura de aprendiz e buscar informações sobre seu trabalho e normas da empresa. Pergunte, observe e eleja uma pessoa que possa ser seu mentor.

Segundo Cezar Tegon, diretor de novos projetos da ABRH-Nacional (Associação Brasileira de Recursos Humanos) existem dois motivos que levam profissionais a cometerem deslizes durante os três primeiros meses de trabalho.

 “O primeiro motivo é a ausência de treinamento em como realizar suas atividades no dia-a-dia e em como lidar com o ambiente, seja com chefes e outros colegas de trabalho. O segundo motivo está ligado a contratações inadequadas, feitas com pressa.”

Cezar explica que contratar um funcionário que não pode "entregar" o que precisa para cumprir bem suas obrigações é ruim para a empresa e péssimo para o profissional que, neste caso, acaba perdendo sua auto-estima.

 

“Hoje com o ritmo quase frenético de crescimento das empresas não sobra tempo para acolher de maneira adequada um novo funcionário e o resultado é catastrófico, pois custa muito caro para a empresa demitir um funcionário além de abalar a moral de toda equipe“, conclui o especialista.

Fonte: (da uol)

Top News