Publicado em 30/04/2012 as 12:00am

Adidas eleva metas de 2012 ao bater rivais na China

Adidas eleva metas de 2012 ao bater rivais na China

A Adidas, a segunda maior empresa de bens esportivos do mundo, aumentou sua previsão de lucro para 2012, após registrar melhor performance que suas rivais Nike e Puma no mercado chinês.

As ações da Adidas saltaram para um recorde de alta com a notícia, com investidores deixando de lado o aviso da empresa alemã de que "irregularidades comerciais" na unidade Rebook na Índia poderiam custar 200 milhões de euros (US$ 265 milhões).

Em um anúncio não previsto para informar os investidores sobre suas novas expectativas, assim como sobre os problemas na Índia, a Adidas afirmou que as vendas na China cresceram 26% em uma base de câmbio neutra no primeiro trimestre, ajudando a elevar suas previsões para vendas e lucro.

A rival Puma não atingiu suas expectativas de vendas na semana passada, citando resultados "medíocres" na China e cautela nos mercados europeus sob planos de austeridade.

A Nike, a maior empresa de materiais esportivos do mundo, reportou no mês passado um crescimento de 21% nas vendas chinesas em uma base de câmbio neutra para o terceiro trimestre fiscal que termina em fevereiro.

Silvia Quandt, analista no Mark Josefson, afirmou que o aumento nas vendas da Adidas na China sugere que os problemas vistos por seus competidores na região foram, em parte, causados pelo fortalecimento da Adidas.

A empresa informou que agora espera um crescimento de cerca de 10% nas vendas em 2012, ante a previsão anterior de aumento entre 5% e 9%, enquanto o lucro líquido deve crescer entre 12% e 17%, comparado com a expectativa anterior de 10% a 15%.

ÍNDIA

A melhora nas previsões e os resultados fortes ofuscaram as notícias de irregularidades da Reebok na Índia, onde a Adidas já informou ter substituído a diretoria.

Um porta-voz se recusou a dar mais detalhes sobre as irregularidades.

A Adidas afirmou que a situação poderá resultar em uma cobrança que impactaria em até 125 milhões de euros, enquanto novas reestruturações na unidade poderiam custar até 70 milhões de euros em 2012.

As novas previsões para 2012 já incluem qualquer cobrança relacionada às irregularidades da Reebok na Índia, informou a empresa.

Fonte: Do Uol

Top News