Publicado em 29/07/2012 as 12:00am

Crise na Espanha deixa governo sem férias de verão

A crise e a incerteza sobre a evolução da situação econômica deixará neste ano sem férias de verão os membros do governo da Espanha, que programou uma intensa agenda de trabalho em agosto, mês escolhido tradicionalmente para o período de descanso.

A crise e a incerteza sobre a evolução da situação econômica deixará neste ano sem férias de verão os membros do governo da Espanha, que programou uma intensa agenda de trabalho em agosto, mês escolhido tradicionalmente para o período de descanso.

O governo, presidido por Mariano Rajoy, convocou três Conselhos de Ministros em três sextas-feiras de agosto (3, 24 e 31), e advertiu seus membros que eles podem ser convocados para mais alguma. "Haverá férias no ano que vem", disseram à Agência Efe fontes do Palácio da Moncloa, a sede governamental.

Rajoy viajará a Palma de Mallorca no dia 14 de agosto para a tradicional reunião com o rei Juan Carlos no Palácio de Marivent, residência de verão da família real espanhola. Com esta agenda, as férias do chefe do Executivo espanhol serão mínimas, e, de fato, ele deve apenas passar rapidamente pela Galícia, região onde nasceu e na qual sua esposa e seus filhos tirarão suas férias em agosto.

Os ministros da área econômica também não têm planos de férias, e fontes do Ministério da Fazenda disseram que seu titular, Cristóbal Montoro, ficará praticamente todo o mês trabalhando.

O governo anterior, do socialista José Luis Rodríguez Zapatero, adotou política semelhante, e fixou reuniões do Conselho de Ministros nos dois últimos anos devido à crise econômica. A Espanha atravessa uma profunda crise que mantém a economia em recessão, com uma taxa de desemprego de 24,6% da população ativa - e de mais de 53% entre os jovens.

Fonte: terra.com.br