Publicado em 1/05/2013 as 12:00am

Candidato brasileiro à OMC refuta queixas de protecionismo

Roberto Azevêdo disputa comando com mexicano Hermínio Blanco. Diplomata brasileiro diz que, se eleito, será um negociador neutro.

O candidato brasileiro para chefiar a Organização Mundial do Comércio (OMC) rechaçou críticas de nações ricas de que seu país está tornando-se mais protecionista, afirmando que será um negociador neutro para os conflitos comerciais globais caso seja escolhido para o posto mais tarde neste mês.

Roberto Azêvedo, um experiente diplomata que representa o Brasil na OMC há anos, está competindo contra o mexicano Hermínio Blanco, um importante agente na criação do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês), para se tornar o primeiro latino-americano a liderar a organização que regulamenta as relações comerciais globais.

Embora ambos os candidatos sejam originários da América Latina, eles representam nações com posturas bastante diferentes sobre o livre comércio. O México defende liberalização mais agressiva, enquanto o Brasil prefere um enfoque gradual para derrubar barreiras comerciais e um grande papel para o governo na regulação do comércio.


Fonte: www.globo.com