Publicado em 8/05/2013 as 12:00am

Retorno ao investidor para rodovias deve ser de 16% a 20%, diz Mantega

Ministro da Fazenda falou de rodovias, mas se negou a comentar IPCA. 'Maiores concessionários disseram que todos os lotes são atrativos', disse.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou nesta quarta-feira (8) que a taxa de retorno aos investidores nas concessões de rodovias, previstas para acontecer a partir de setembro deste ano, deverá ficar entre 16% e 20%.

A taxa de retorno do projeto, por sua vez, foi elevada de 5,5% para 7,2% - conforme informou mais cedo, nesta quarta-feira, o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon). Ao todo, serão leiloados 7,5 mil quilômetros de rodovias nas concessões, em nove lotes distintos.

Apesar de questionado pela imprensa, o ministro da Fazenda se negou a comentar o resultado do IPCA de abril, que somou 0,55% e 6,49% em doze meses.

"A taxa de retorno para o investidor ficará entre 16% e 20% em termos reais. É diferente para cada rodovia. São os parâmetros para os leilões. Haverá uma concorrência e as taxas de rendimentos poderão baixar um pouco. Não serão necessariamente estas a serem praticadas (...) Já a taxa de retorno de 7,2% é para o projeto. É como se fosse o rendimento do capital da empresa que vai fazer o investimento, considerando o financiamento", explicou Mantega.

De acordo com ele, as "condições especiais" de financiamento reduzem os custos e alteram a rentabilidade dos projetos. "Será um financiamento de até 25 anos com uma taxa de juros de até 1,5% com prazo de carência de 5 anos na modalidade de 'project finance' para todos os bancos públicos e privados", declarou.

O ministro Mantega informou que os maiores concessionários disseram que, com estas taxas, "todos os lotes [de rodovias que serão leiloados em concessão] são atrativos". "Com essa taxa de retorno, haverá um interesse das concessionárias para que participem deste lote grande de concessões que va ser anunciado. As concessionárias consideraram que esta taxa é atraente para participarem com entusiamo das concessões", afirmou ele.

Trem-bala
Interpelado se a taxa de retorno do projeto das rodovias ficará maior do que o trem-bala, que é de 6,32%, Mantega declarou que as condições da concessão do trem bala serão analisadas em "outras ocasiões". "Estaremos analisando as ferrovias e as condições do trem-bala em outras ocasiões", concluiu.

Pacote de concessões
Em agosto do ano passado, o governo lançou a primeira etapa de um novo pacote de concessões para incentivar investimentos na infraestrutura do país. Essa primeira fase do chamado Programa de Investimentos em Logística prevê a aplicação de R$ 133 bilhões na reforma e construção de rodovias federais e ferrovias.

Na ocasião, o ministro dos Transportes, Paulo Passos, disse que R$ 42,5 bilhões, do valor total de R$ 133 bilhões previstos, devem ser aplicados na duplicação de cerca de 5,7 mil quilômetros de rodovias, incluindo, segundo ele, os principais eixos rodoviários do país. Outros R$ 91 bilhões, por sua vez, serão aplicados na reforma e construção de 10 mil quilômetros de ferrovias, acrescentou ele.


Fonte: www.globo.com