Publicado em 2/07/2013 as 12:00am

Ação da OGX desaba 20% e vale R$ 0,45; papéis de Eike lideram perdas Comente

Ação da OGX desaba 20% e vale R$ 0,45; papéis de Eike lideram perdas Comente


As ações das empresas do grupo EBX, de Eike Batista, acumularam o segundo dia seguido de fortes quedas nesta terça-feira (2).

Depois de ter desabado quase 30% na véspera, a ação da petrolífera OGX (OGXP3) liderou as perdas da Bovespa hoje, afundando mais 19,64% e passando a valer R$ 0,45.

A empresa tinha anunciado que pode suspender a produção de petróleo em Tubarão Azul a partir do ano que vem. Após o anúncio, quatro bancos reduziram sua expectativa de preço para a ação da empresa; o Deutsche Bank chegou a avaliar que o papel da OGX vai chegar a R$ 0,10 em um ano.

Além disso, a agência de risco S&P cortou a nota de crédito da empresa, para um nível próximo do risco de calote. Em um ranking da empresa de gestão de risco Kamakura, a OGX passou a figurar como a terceira empresa do mundo com maior ameaça de calote aos credores.

Outras ações de Eike também fecharam o dia no vermelho: a mineradora MMX (MMXM3) desabou 17,29%, a R$ 1,10; a empresa de logística LLX (LLXL3) recuou 11,24%, a R$ 0,79.

A OSX (OSXB3), de construção naval, teve queda de 15,79%, a R$ 1,12; a MPX (MPXE3), de energia, perdeu 8,75%, a R$ 6,57; e a CCX (CCXC3), de mineração de carvão, recuou 9,21%, a R$ 0,69.

Fonte: www.uol.com