Publicado em 1/10/2013 as 12:00am

Ação da OGX, de Eike, dispara 14% na Bovespa após anúncio de calote

Ação da OGX, de Eike, dispara 14% na Bovespa após anúncio de calote


A ação da petroleira OGX (OGXP3), de Eike Batista, disparou na Bovespa nesta terça-feira (1º), apesar de o empresário ter anunciado que não vai pagar uma dívida de US$ 45 milhões com investidores estrangeiros.

Os papéis fecharam em forte alta de 14,29%, a R$ 0,24. Com o valor das ações tão baixo, variações de poucos centavos podem causar oscilações percentuais intensas. 

A OGX passa por um momento de alto endividamento, problemas na produção e escassez de recursos para investimentos. Há rumores de que a petroleira vá entrar com pedido de recuperação judicial (antiga concordata) dentro das próximas semanas.

Fundamentos não explicam alta da OGX

Para o analista da Empiricus Research, Roberto Altenhofen, os fundamentos econômicos não são suficientes para explicar a forte alta da OGX nesta terça. "Pelo contrário, os sinais são os piores possíveis: nada melhorou de ontem para hoje, a estrutura de capital da empresa ainda está estrangulada", afirmou.

Ele afirma que pode haver uma série de motivações diferentes para o comportamento dos investidores. Entre algumas possibilidades, Altenhofen cita a falta de clareza quanto às regras da Bovespa no caso de uma empresa pedir recuperação judicial. "É a primeira vez que uma empresa do Ibovespa pode entrar em processo de recuperação judicial, os investidores estão perdidos", disse Altenhofen.

No caso de uma intervenção da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a ação da OGX não seria mais negociada no Ibovespa, o principal índice da Bolsa. "Muitos investidores não sabem como vai se dar essa saída, se eles vão ter tempo de exercer seus contratos de opção, e alguns podem ter aproveitado para exercê-los hoje", afirmou o analista.

No caso da OGX, muitos investidores assumiram uma "posição vendida", apostando na queda do preço das ações. Opção sobre ações é um tipo de contrato de compra ou venda de ações a um preço pré-determinado. 

Quem aposta que a ação vai ficar mais cara assume posição "comprada", para liquidar o contrato pagando um preço menor pela ação do que o da negociação da Bolsa. Já quem acredita que o preço da ação vai cair assume posição "vendida" para vender as ações a um preço maior do que o do dia.

Fonte: www.uol.com