Publicado em 21/12/2013 as 12:00am

PAÍS EM CRISE - Criação de vagas tem é o menor em 10 anos

Criação de vagas formais tem pior resultado até novembro em 10 anos

A criação de empregos com carteira assinada somou 1,54 milhão de vagas de janeiro a novembro deste ano, o pior resultado para este período desde 2003 - quando foram abertas 1,11 milhão de vagas formais, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. Na comparação com os onze primeiros meses do ano passado (1,77 milhão de vagas abertas), houve uma queda de 12,6%. O recorde para os onze primeiros meses de um ano foi registrado em 2010 (2,91 milhões de empregos formais abertos). "O crescimento do PIB [Produto Interno Bruto] foi menor. A criação de empregos formais é proporcional ao crescimento do PIB. Com isso, [a geração de vagas] foi acima do razoável. Não tem crise. Se você pegar todos os números do Ministério do Trabalho e todas as áreas de investimentos, com capital estrangeiro investindo no Brasil, aumento real de salários, não estamos em crise", avaliou o ministro do Trabalho, Manoel Dias. Os números de criação de empregos formais do acumulado de 2013, e de igual período dos últimos anos, foram ajustados para incorporar as informações enviadas pelas empresas fora do prazo (até o mês de outubro). Os dados de novembro ainda são considerados sem ajuste. Mês de novembro Somente em novembro, a criação de empregos formais somou 47.486 vagas formais. O número representa uma alta de 3% na comparação com o mesmo mês de 2012, quando foram abertos 46.095 postos. Também é o melhor resultado para meses de novembro desde 2010 - quando foram abertas 138.247 vagas formais. De acordo com os dados do Ministério do Trabalho, novembro foi o quarto mês seguido de alta na comparação com 2012. Entretanto, ainda ficou distante do recorde para meses de novembro - que foi registrado em 2009 (246 mil postos formais).

Fonte: (G1)