Publicado em 24/01/2014 as 12:00am

Mesmo com dólar alto, gastos de brasileiros nos EUA batem recorde

Mesmo com alta do dólar, gastos de brasileiros no exterior batem recorde

A alta de 15% no dólar em 2013, a maior dos últimos cinco anos e responsável por encarecer passagens e hotéis cotados em moeda estrangeira, não impediu que os gastos de brasileiros no exterior crescessem e batessem um novo recorde histórico. Segundo números divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (24), as despesas de brasileiros lá fora somaram US$ 25,34 bilhões (considerando a cotação da moeda norte-americana nesta sexta, seriam R$ 61,14 bilhões) em todo o ano passado, o que representa um crescimento de 14% sobre 2012 ? que era o recorde anterior, com gastos de US$ 22,23 bilhões. O aumento dos gastos no exterior está relacionado, segundo economistas, à continuidade dos crescimentos do emprego e da renda no Brasil, mesmo com um ritmo menor de expansão, e também aos baixos preços de produtos em alguns países. Alta do IOF No fim do ano passado, porém, o governo brasileiro adotou medidas para tentar conter esse tipo de gasto. A alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente nos pagamentos em moeda estrangeira feitos com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior, compras de cheques de viagem (traveller checks) e carregamento de cartões pré-pagos foi elevada de 0,38% para 6,38%. Com isso, essas operações passaram a ter a mesma tributação dos cartões de crédito internacionais. Perspectiva para 2014 Mesmo com a alta do IOF para despesas no exterior, o chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Fernando Rocha, avaliou que as despesas lá fora devem registrar crescimento neste ano e, com isso, bater novo recorde histórico. Para o BC, porém, a alta deve ser menor do que os 14% registrados em 2013. "O aumento da renda do brasileiros deve ser maior do que a alta dos custos no exterior", explicou ele. Histórico de gastos no exterior Em 2011, os gastos no exterior haviam somado US$ 21,2 bilhões. Entre aquele ano e 2012, o crescimento foi de 4,5%. Até 1994, quando foi editado o Plano Real, que conteve a hiperinflação no país, os gastos de brasileiros no exterior não tinham atingido a barreira dos US$ 2 bilhões. Naquele ano, porém, somaram US$ 2,23 bilhões. Entre 1996 e 1998, as despesas no exterior oscilaram entre US$ 4 bilhões e US$ 5,7 bilhões. Com a "maxidesvalorização" cambial de 1999 e o dólar subindo acima de R$ 3 em um primeiro momento, as despesas no exterior também ficaram mais caras. Com isso, os gastos voltaram a recuar e ficaram, naquele ano, próximos de US$ 3 bilhões. As despesas de brasileiros em outros países voltaram a atingir a barreira de US$ 5 bilhões por ano somente em 2006. Desde então, têm apresentado forte crescimento. Em 2007, 2008 e 2009, por exemplo, atingiram, respectivamente, US$ 8,2 bilhões, US$ 10,9 bilhões e US$ 10,8 bilhões.

Fonte: (G1)