Publicado em 17/04/2015 as 12:00am

Empresários participam de palestra sobre redes sociais

Aconteceu na terça-feira (14), na cidade de Lowell (Massachusetts) mais uma palestra do ciclo que a Câmara de Dirigentes Lojistas Empreendedores dos Estados Unidos

Aconteceu na terça-feira (14), na cidade de Lowell (Massachusetts) mais uma palestra do ciclo que a Câmara de Dirigentes Lojistas Empreendedores dos Estados Unidos (CDLE/USA) vem promovendo para ajudar o empresário brasileiro no estado. Desta vez o assunto foi redes sociais e o palestrante foi o empresário Paulo Carvalho.

O evento aconteceu no Jameson´s Restaurant, antigo Beira Rio, e o palestrante atuou de uma forma com que os presentes participassem de maneira interativa. Previamente, ele disctribuiu perguntas para alguns dos presentes, os quais a efetuaram durante o desenrolar da palestra. Participaram desta interação Veronica Oliveira, Josely Nogueira, Marai Damazia, Dulce Melo, Ricardo de Paula, José Carlos, Marcio Monte Negro e Percílio Euqueres.

Logo no início da palestra, Paulo Carvalho explicou o que são redes sociais na internet. Ele deixou claro que se trata de sites onde as pessoas compartilham informações, opiniões e interesses relacionados a diversos assuntos, inclusive sobre as empresas. “Isso quer dizer que o conteúdo gerado por uma empresa nas redes pode ser compreendido e repassado por e para milhares de usuários, fazendo com que a marca seja vista e, consequentemente, lembrada”, disse.

O palestrante mostrou ainda que não adianta apenas a empresa criar um perfil nas redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, Foursquare, etc), segundo ele, uma das principais questões que envolve essa realidade é o fato de que muitas empresas acreditam que basta só estar na rede e que não há necessidade de um acompanhamento, gerenciamento e geração de conteúdo eficaz e relevante, pertinentes ao universo da marca; “Então, o que era para ser um ponto positivo na reputação da marca pode se tornar negativo”, explicou.

Outro ponto que Paulo Carvalho falou é que não basta apenas ter um site institucional? Para ele, possuir um site institucional na atualidade é o mínimo que uma empresa pode fazer para que o seu público a encontre. “Porém, os tempos mudaram e as ferramentas também”, fala. Ele acrescentou que os sites são diferentes de redes sociais e que dificilmente alguém entra no site de uma marca todos os dias. “Já nas redes sociais, sim”, continuou.

Para explicar quais as vantagens de estar nas redes sociais, Paulo Carvalho disse que os benefícios são muitos a começar pela mídia de relacionamento, que criar um leque enorme de pessoas que vão conhecer o produto. “Além disso existe a lucratividade, dados e relatórios relevantes, métricas, presença, conhecimento do público, informação, público, credibilidade, confiança por parte dos usuários, buzz, alcance, interação e popularidade”, continuou.

Paulo explicou que ao optar pelo perfil corporativo, a empresa pode realizar um marketing extremamente descontraído e moderno, divulgando seus produtos ou serviços de forma prática e eficaz. “As famosas fan pages atraem milhares de pessoas quando possuem postagens criativas e bem elaboradas, constituindo uma excelente forma de atingir o público-alvo”, disse.

Ele explicou ainda que além do marketing eficaz, as empresas que apostam nas redes sociais, podem aproveitar a facilidade de interação para manter um contato bem próximo com o seu público- alvo. De acordo com diversos consultores, isso facilita a segmentação e permite que a empresa possa conhecer melhor as necessidades de seus clientes. “A partir dos comentários nas postagens e mensagens que podem ser mandadas com praticidade e rapidez, a empresa adquire uma verdadeira intimidade com o seu público, analisando os desejos e preferências, de modo a aperfeiçoar seus serviços e produtos (Feed Back)”, disse.

Ele continuou, explicando que com um perfil corporativo, as empresas podem manter o relacionamento direto com os seus clientes, sanando dúvidas e esclarecendo informações sempre que necessário. “Isso facilita a comunicação e permite que a empresa ganhe a confiança do público, adquirindo um posicionamento positivo”, disse.

Para ele, é possível compartilhar ideias, informações, discutir soluções e entender as mudanças do público-alvo. “A consequência disso, a médio ou longo prazo, é o crescimento da empresa e o reconhecimento da marca, que adquirirá experiência no mercado cada vez mais globalizado”, fala.

Paulo explicou, ainda, que disseminação de informação através da rede mundial de computadores tornou-se um verdadeiro fenômeno do mundo globalizado. “Todo mundo sabe que as redes sociais são os sites mais acessados em diversos países. Neste contexto essencialmente digital, é necessário que as empresas invistam nos famosos perfis corporativos como uma forma extremamente eficaz de marketing e divulgação da marca. Uma pesquisa realizada pela Revista Business Week constatou que os empreendimentos que apostam nas mídias sociais possuem melhores resultados em suas receitas e lucros, além do crescimento da popularidade de sua marca”, disse.

Quando a empresa investe nas redes sociais para fazer o marketing de seus serviços e produtos ela adquire o posicionamento no mundo virtual. Segundo a opinião de especialistas, o posicionamento é algo essencial para a imagem positiva da marca, bem como para a realização de uma publicidade engajada. As redes sociais permitem o impulsionamento da propaganda, fazendo com que ela chegue ao máximo de pessoas possíveis de uma só vez. Isso garante que a marca sempre estará próxima ao público, sendo sempre lembrada e reconhecida.

O palestrante explicou ainda que se o empresário “estiver gerenciando as mídias sociais para seus negócios, é importante manter o controle das estatísticas para ter as suas estratégias online atualizadas”.

FEIRÃO BRASILEIRO USA

Após a palestra, os membros da CDLE falaram sobre o Feirão Brasileiro USA que vai acontecer nos dias 18 e 19 de Julho, no Holiday Inn, na Saída 28 da 495. Os diretores Daniel Pereira, Márcio Montenegro e Percilio Euqueres foram os mais entusiasmados com este evento. Nas próximas semanas, a entidade vai divulgar as regras e como acontecerá a feira que pretende reunir mais de 3 mil pessoas.


Fonte: Da Redação