Publicado em 18/11/2015 as 12:00am

'Prévia' do PIB cai 0,5% em setembro e acumula queda de 3,38% no ano

Essa foi a sétima queda mensal consecutiva do indicado

O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,5% em setembro, na comparação com agosto, segundo informações divulgadas pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira (18). A comparação é feita já descontando as diferenças sazonais entre os meses de julho e agosto.

Essa foi a sétima queda mensal consecutiva do indicador. No ano, o indicador aponta redução de 3,38% sobre o mesmo período do ano passado (3,37% na série com ajuste).

Na comparação com setembro de 2014, o IBC-Br recuou 6,18% na série observada e teve queda de 5,85% na série com ajuste.

Nos 12 meses encerrados em setembro, o índice de atividade aponta queda de 2,76% na série sem ajuste e baixa de 2,73% no dado dessazonalizado. Devido às revisões constantes do indicador, o IBC-Br medido em 12 meses é mais estável do que a medição mensal.

O PIB é a soma de tudo o que é produzido no país.

 

Brasil entrou em recessão no segundo trimestre

Considerando o dado oficial de inflação, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) houve queda de 1,9% no segundo trimestre e de 0,2% no primeiro.

Dois trimestres consecutivos de encolhimento da economia indicam que o país está em recessão técnica. Já havia ocorrido recessão técnica no ano passado, com resultados negativos do PIB no primeiro e no segundo trimestres.

 

Economistas veem queda de 3,1% no PIB em 2015

Economistas estimam que o PIB brasileiro tenha queda de 3,1% em 2015, de acordo com o último Boletim Focus, divulgado pelo BC na segunda-feira (16).

A projeção foi a mesma da semana passada e interrompeu uma série de 17 semanas em que os analistas pioraram as estimativas para o PIB.

 

IBC-Br

O indicador do BC é visto pelo mercado como uma antecipação do resultado do PIB, e serve de base para investidores e empresas adotarem medidas de curto prazo. Porém, não necessariamente reflete o resultado anual do PIB e, em algumas vezes, distancia-se bastante.

O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços).

A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores acrescida dos impostos sobre produtos. O PIB calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período.

Fonte: terra.com.br