Publicado em 10/12/2015 as 12:00am

Sann Rodrigues bloqueia acesso a vídeos no You Tube

Em novo canal, o brasileiro acusado de envolvimento na Telexfree afirma que exporia técnicas e estratégias de como recuperar tudo e como ganhar dinheiro

O Brazilian Times publicou na edição de segunda-feira (07) uma matéria sobre dois vídeos publicados pelo brasileiro Sann Rodrigues, onde ele afirmava que iria “abrir o jogo e contar tudo”. Mas não citou mais nada, além disso. Apenas disse que seria “um evento único, exclusivo, imperdível e revelador”.

Desde então, a redação do jornal e outros leitores começaram acompanhar o canal criado por ele no You Tube (Sann Rodrigues) para ficar atualizado do que realmente no brasileiro estaria falando. Isso porque ele é acusado com a “Telexfree”, um esquema que segundo as autoridades prejudicou milhões em todo o mundo. Todos querem saber se o ex-promotor da rede iria relatar como funcionava seu trabalho na empresa ou estaria criando expectativas para criar um novo mercado multinível.

O vídeo foi publicado em um novo canal aberto por Sann, onde ele também publicou um segundo, no qual afirma que vai contar o que realmente aconteceu e o que vai acontecer. Segundo ele, vai mostrar o que é mentira e o que é verdade em sua história, vai expor técnicas e estratégias de como recuperar tudo e como não perder e como ganhar dinheiro.

Mas nesta quinta-feira, ao acessar o canal, a redação do jornal foi surpreendida com uma mensagem de quem o canal não tem conteúdo. Ao clicar em um dos vídeos já assistidos, mais uma surpresa. Surgiu a mensagem que o vídeo não estava mais disponível e que era “privado”. O Site You Tube mostra que existem 16 vídeos novos, mas eles não estão mais disponíveis para o público.

Isso quer dizer que San Rodrigues mantém o canal, mas decidiu bloquear todo o conteúdo e liberar apenas para pessoas que desejar. Mas a pergunta é: o que tem nestes vídeos? Qual a finalidade deste novo canal? Será mais uma rede de multinível? Estas perguntas ainda permanecem sem respostas.

A redação do Brazilian Times tentou falar com Sann Rodrigues, através dos últimos contatos que tinha à disposição, mas não obteve êxito.

Fonte: Redação