Publicado em 12/01/2016 as 12:00am

Ação da Petrobras cai abaixo dos R$ 6, menor valor desde 2003

Bolsa recupera 40 mil pontos, mas petróleo preocupa investidores

Depois de ter registrado quatro quedas consecutivas e chegado pela primeira vez abaixo dos 40 mil pontos em quase sete anos, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta nesta terça-feira. O índice de referência Ibovespa avança 0,67%, aos 40.217 pontos, acompanhando o movimento de correção de preços nas Bolsas europeias também após quatro quedas.

Mas o clima ainda é de cautela por causa do petróleo, que voltou a cair pela manhã, renovando os valores mínimos desde 2004. O barril do tipo Brent atingiu mínima de US$ 30,43, mas agora opera estável, a US$ 31,55.

O dólar comercial opera recua agora 0,61%, cotado a R$ 4,027 para venda. Globalmente, a divisa americana também registra estabilidade contra uma cesta de dez moedas, de acordo com o índice Dollar Spot, da Bloomberg.

Apesar da alta da Bolsa, as ações da Petrobras registram forte queda, recuando 3,82% (ON, com direito a voto, valendo R$ 7,29) e 4,10% (PN, sem voto, a R$ 5,84). Desde abril de 2003 a Petrobras PN não operava cotada abaixo dos R$ 6. Quando o histórico da cotação é ajustado considerando a distribuição de proventos — ajuste essencial, segundo analistas, para evitar distorções —, desde 16 de junho de 2004 a Petrobras PN não operava abaixo dos R$ 6, segundo dados da plataforma Economática, que realiza esse tipo de ajuste.

No seu pico, a ação chegou a valer R$ 52,51, em 21 de maio de 2008.

CORTE DE 24,5% NOS INVESTIMENTOS

A Petrobras anunciou nesta terça-feira que seu Conselho de Administração aprovou novos cortes nos investimentos da companhia para os próximos anos, tendo em vista a forte queda dos preços do petróleo e a valorização cambial. Segundo fato relevante divulgado pela companhia, no período 2016-2019, os investimentos totais cairão para US$ 98.4 bilhões, contra os US$ 130,3 bilhões previstos anteriormente, um corte de 24,5%.

No ano de 2015 os investimentos caíram dos US$ 25 bilhões previstos para US$ 23 bilhões. Para este ano os investimentos terão um pequeno aumento, passando dos US$ 19 bilhões previstos em outubro do ano passado para US$ 20 bilhões. A Petrobras reviu suas previsões de cotação do petróleo Brent para US 45 o barril neste ano.

— O mercado está ficando apreensivo com a Petrobras porque o ano é desafiador. Na prática, pouca coisa foi feita no que diz respeito a desinvestimento. Até que ponto ela vai conseguir levantar caixa com o petróleo nesses níveis? Isso tudo traça um cenário complicado — afirmou João Pedro Brugger, da Leme Investimento.

Sustentam o Ibovespa no campo positiva as ações do setor bancário. O Banco do Brasil ON avança 1,25%, enquanto o Bradesco PN registra alta 1,02%. O Itaú Unibanco ON sobe 1,79%. A Itausa, holding do Itaú, avança 1,67%, enquanto a Cielo tem alta de 1,29%.

Na Europa, o dia é de alta forte, puxada pelas fabricantes de automóvel. O índice Euro Stoxx 50 sobe 2,27%, enquanto a Bolsa de Londres valoriza-se em 1,78%. Em Paris, o pregão avança 2,49%, e em Frankfurt, 2,5%.

Fonte: http://oglobo.globo.com