Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 13/11/2018 as 2:00pm

20 situações financeiras que exigem cuidado

Não é difícil se ver em uma situação financeira complicada. Às vezes isso ocorre devido a...

20 situações financeiras que exigem cuidado Como economizar dinheiro.

Não é difícil se ver em uma situação financeira complicada. Às vezes isso ocorre devido a um acidente ou pela perda de um emprego, mas, muitas vezes, as pessoas nem se dão conta de que suas finanças pessoas estão à beira do desastre. Aqui estão 20 situações comuns que podem causar graves dificuldades com dinheiro.

Dívida com cartão de crédito

É comum as pessoas gastarem mais do que ganham nos primeiros anos das suas carreiras, mas a gastança irresponsável pode trazer grandes problemas mais adiante. A fatura média do brasileiro no cartão de crédito fica em torno de R$ 1 mil, e esse tipo de despesa pode causar problemas caso as dívidas se acumulem, gerando juros astronômicos.

Comprar um imóvel valorizado

Muita gente aprendeu uma lição com os períodos de crise: não compre um imóvel por mais do que ele vale. Antes da crise imobiliária dos EUA em 2008, por exemplo, muitos americanos fizeram financiamentos com companhias inescrupulosas que o deixaram com a corda no pescoço, sem conseguir saldar suas dívidas mesmo vendendo suas casas.

Gastar muito quando se tem 20 e poucos anos

Para os jovens que entram na vida adulta, pode ser difícil gastar com responsabilidade. Há festas para ir e carros legais para comprar, mas essas decisões podem complicar sua vida na hora de tentar conseguir um financiamento ou ter uma família. Saber lidar com finanças leva tempo, mas é preciso ao menos se esforçar para ter alguma contenção.

Decretar falência

Quando se tem diante de si uma dívida instransponível, um recomeço pode parecer promissor. É melhor decretar falência – no caso das pessoas físicas, a insolvência civil – e retomar do zero? Tenha em mente que você terá que se desfazer de todos os seus bens e reconstruir todo seu histórico de crédito, e esse processo pode ser extenuante. Tenha certeza do que está fazendo antes de seguir esse caminho.

Créditos estudantis

Outra dívida que merece atenção são os empréstimos estudantis. As empresas de crédito dificilmente emprestam para jovens, mas há uma exceção para gastos com educação. Muitas vezes os estudantes não têm noção da responsabilidade que estão assumindo. Se você vai gastar uma pequena fortuna na sua educação, tenha certeza de que ela vale o que custa.

Consolidação de dívida

Se você estiver totalmente endividado, uma solução que parece fácil é a consolidação de dívidas, com ofertas que prometem trocar todas suas parcelas atrasadas por um só pagamento. Desconfie. Sempre existe a chance de negociar sua dívida atual com os credores sem se endividar mais, e evitando pagar taxas exorbitantes a atravessadores.

Esquemas de pirâmide

Se alguém lhe oferece retornos sobre um investimento que parecem bons demais para ser verdade, é bem provável que eles sejam isso mesmo. Esquemas de pirâmide têm como base empresas que ludibriam novos investidores e usam esse fluxo de caixa para justificar seu crescimento sem oferecer produtos, enquanto os esquemas de tipo Ponzi paga investidores com o dinheiro de outros que chegam posteriormente, em vez da receita gerada por qualquer negócio real.

Empréstimo consignado

Empresas de crédito consignado promovem seus serviços com promessas de dinheiro rápido e conveniência. Mas é preciso tomar cuidado: se você tomar dinheiro emprestado dessa forma, suas finanças podem ir por água abaixo caso a nova dívida se acumule a outras anteriores. Por isso, apenas tome novos empréstimos depois que os demais estejam quitados.

Investimentos que dão errado

Mesmo quando você faz um investimento legítimo em uma empresa, as coisas podem dar errado. Apenas pergunte a quem costuma colocar dinheiro na bolsa, que vez ou outra veem suas apostas virando poeira. É fundamental diversificar o portfólio, e se você quiser se arriscar um pouco, faça isso com uma companhia na qual você acredite, e não com alguma que se apoia apenas em uma onda.

Má pontuação de crédito

Se você não paga suas faturas do cartão integralmente ou deixa passar o vencimento das contas, isso vai impactar sua pontuação de crédito. Uma má nota significa que você terá dificuldade para ter empréstimos aprovados, para alugar um apartamento ou fechar uma apólice de seguro. Sendo assim, tente sempre ao máximo saldar suas dívidas.

Não ter um seguro de vida

Pode parecer uma boa ideia economizar dinheiro ao não adquirir um seguro de vida, mas esse tipo de mesquinhez pode impactar sua família de diversas maneiras. Se você morrer, seus filhos, pais ou outros familiares podem ficar sem acesso a seu patrimônio caso existam dívidas não pagas. Não cometa esse erro.

Gastar dinheiro demais com aluguel

Uma velha regra diz que não se pode gastar mais de 30% do salário com aluguel, mas isso está se tornando impossível em cidades caras, como São Paulo ou Rio. Se isso se aplica a você, certifique-se que isso está sendo compensado com o corte de outros gastos supérfluos, e fique de olho em um emprego melhor ou em outro lugar para morar.

Não pagar impostos

Você tem certeza de que pagou seus impostos? A menos que você fuja do país, isso não tem escapatória. A Receita Federal tem maneiras de descobrir se você está em dívida, e, mesmo que a inadimplência fiscal não seja crime – diferentemente da sonegação –, a sua vida pode ficar bastante complicada. Sendo assim, dê um jeito de pagar seus impostos sempre.

Não ter um fundo de emergência

Emergências acontecem. E quando elas surgem, é melhor não usar um cartão de crédito com taxas de juros exorbitantes, acumulando dívidas que você levará anos para pagar. Em vez disso, mantenha um fundo de emergência com dinheiro suficiente para cobrir entre três e seis meses dos seus gastos. Mesmo que ele não renda tanto quando seus outros investimentos, ele vai ser muito mais fácil de acessar quando houver necessidade.

Não ter um plano de saúde

Planos de saúde são caros, e seus custos estão sempre subindo. Desse jeito, pode parecer sensato deixar isso de lado. Entretanto, uma doença grave, como um câncer ou um problema do coração, pode levá-lo à falência se vier na hora errada. Qualquer entrada em um hospital pode custar suas economias. No fim, planos de saúde valem a pena, mesmo com mensalidades caras.

Contas conjuntas com pessoas irresponsáveis

Muitos casais ainda têm contas conjuntas, mas isso não é necessário. É sempre necessário ter cautela ao colocar o seu futuro financeiro nas mãos de outra pessoa. Se você abrir uma conta conjunta com um gastador irresponsável ou uma pessoa com uma má pontuação de crédito, não fique surpreso quando as más decisões que ela tomar começarem a afetar a sua vida.

Não economizar para a aposentadoria

Quando se é jovem, a aposentadoria pode parecer muito distante. Além disso, você planeja ficar rico antes disso, não é? Infelizmente, a Previdência Social não rende benefícios muitos bons, e isso pode ainda piorar quando chegar a hora de você se aposentar. Assim, faça um favor a você mesmo e comece a guardar dinheiro para depois.

Não fazer um testamento

Caso uma pessoa morra sem deixar um testamento registrado em cartório, isso pode criar uma discordância entre os herdeiros. Para evitar problemas, assim como os procedimentos legais que podem não estar de acordo com a sua vontade em vida, é melhor escrever um testamento.

Comprar um carro caro

Um automóvel deve ser comprado por ser algo prático, e não pelo que ele representa, mas muita gente ainda vê seus carros esportivos ou chamativos como símbolo de status. Um veículo novo perde até 15% do seu valor assim que é retirado da concessionária, então é bom cogitar comprar um carro usado, e encontrar um que não custe uma fortuna em manutenção.

Fonte: MSN