Publicado em 16/08/2009 as 12:00am

Astro de cinema indiano é detido em aeroporto nos EUA

Um dos atores mais famosos de Bollywood, Shahrukh Khan diz ter ficado preso por 2 horas por ser muçulmano.


O governo indiano pediu explicações aos Estados Unidos neste sábado (15) após um dos mais famosos atores do país, Shahrukh Khan, ter sido detido por duas horas no aeroporto de Newark, perto de Nova York. Khan teria sido libertado após a intervenção de um diplomata indiano nos Estados Unidos.


O ator, uma das maiores celebridades de Bolllywood (a indústria indiana do cinema), acusa as autoridades de imigração americanas de tê-lo interrogado por causa de seu sobrenome muçulmano.


Shahrukh Khan disse ter se sentido bravo e humilhado após o interrogatório pelos funcionários da imigração.


O ator já apareceu em mais de 70 filmes de Bollywood e ganhou inúmeros prêmios por suas atuações. No ano passado, a revista americana Newsweek listou seu nome entre as 50 pessoas mais influentes do mundo.


A atriz de Bollywood Priyanka Chopra disse ter ficado indignada com o tratamento dado a Khan pela imigração americana.


"É realmente uma desgraça e muito chocante. Eu não digo que eles não podem checar Shahrukh por ele ser uma personalidade mundial, mas estou dizendo que eles não deveriam detê-lo só porque seu nome é Khan, infelizmente", afirmou.


Ex-presidente revistado


O episódio com Khan ocorre poucas semanas após a companhia aérea americana Continental Airlines ter pedido desculpas ao ex-presidente indiano Abdul Kalam, que foi revistado antes de embarcar em um vôo da companhia no aeroporto de Nova Délhi.


Há alguns anos, o então ministro da Defesa indiano George Fernandes havia sido forçado a tirar seus sapatos e suas meias em um aeroporto de Washington durante uma visita oficial aos Estados Unidos.


A ministra das Comunicações da Índia, Ambika Soni, disse que esse tipo de tratamento a indianos está acontecendo "com muita frequência" e sugeriu que as autoridades indianas comecem a tratar os turistas americanos da mesma maneira.


As autoridades americanas ainda não comentaram o caso, mas o embaixador americano na Índia disse que estava buscando informações sobre o incidente.

Fonte: (G1)