Publicado em 27/08/2012 as 12:00am

"E Aí... Comeu?" é consagrado melhor filme no Festival em Miami

Comédia dirigida por Felipe Joffily levou platéia ao delírio e foi aclamada pelo Júri popular

  

Comédia dirigida por Felipe Joffily levou platéia ao delírio e foi aclamada pelo Júri popular

Gilvan De Sergipe

- ANBT –

Miami Beach (FL) – A expectativa da passagem do furacão Isaac pelo sul da Flórida no final de semana, além de esparsas chuvas ocasionais, que começaram na sexta-feira, não foram suficientes para intimidar o interesse dos cinéfilos pelo último dia da mostra de cinema brasileiro que estava sendo realizada em Miami. Multidão concentrada em frente ao Colony Theatre, muito antes da abertura dos portões. Platéia ovacionando as premiações. Fãs, fotógrafos e repórteres se aglomerando em volta de cineastas, atores e das organizadoras do evento. Assim se traduzia o sucesso da cerimônia de encerramento do 16th Brazilian Film Festival of Miami, realizada sábado, 25.

Organizado pela Inffinito Foundation – atuante empresa responsável pela exposição dos melhores trabalhos do atual cinema brasileiro em países como Canadá, Inglaterra, Espanha, Argentina, Itália, Uruguai e EUA -, o Festival de Cinema de Miami, que trouxe esse ano 30 dos mais relevantes filmes da safra 2011/2012 produzidos no Brasil, mostrou, ao lotar jardins de centro cultural, salas de teatro e cinemateca americanas diariamente por uma semana seguida, por que a produção de audiovisuais brasileira tem crescido avassaladoramente em qualidade nos últimos anos.

Apresentando desde películas de jovens cineastas como Selton Mello, com seu "O Palhaço", que abriu o Festival no dia 18, até produções portentosas como "Xingu", de Cao Hamburger e do premiado diretor Fernando Meirelles, que fechou com chave-de-ouro o Festival de Miami de 2012, a seleção dos 30 filmes exibidos atraiu não apenas brasileiros amantes da sétima arte, mas americanos, hispanos, europeus e asiáticos.

O Circuito Inffinito de Festivais teve como curadores dessa 16ª edição respeitadíssimos profissionais da área cinematográfica e de audiovisuais, como Jorge Peregrino, conselheiro da Academia Brasileira de Cinema, Clélia Bessa, professora de Cinema na PUC-RJ, Paula Barreto, produtora e diretora-executiva da Filmes do Equador Ltda, Ruth Albuquerque, que atuou na Embrafilme e na Ancine, e a jornalista Maria Arlete Gonçalves, diretora de cultura do instituto Oi Futuro. Esse grupo de competentes especialistas foi o responsável pela excelente seleção de documentários, dramas, animação, comédias e ficção apresentados ao público de Miami nesta temporada.

Diferente das dos anos anteriores, em que um Júri oficial formado por profissionais de cinema e um Júri popular formado pela platéia presente a cada sessão votavam nos melhores trabalhos exibidos, a 16ª edição do Festival computou apenas os votos dos milhares de espectadores que assistiram a todos os filmes da mostra competitiva. Embora diversas películas tenham agradado demais o público presente e recebido excelentes pontuações, o curta "Depois da Queda", de Bruno Bini, e o longa-metragem "E Aí... Comeu?", de Felipe Joffily, levaram as estatuetas de Melhor Filme, em curta e longa-metragem, respectivamente.

Guerreiras de Ouro - O Brazilian Film Festival of Miami, em conjunto com os festivais de cinema realizados em Londres, Madri, Montevidéu, Buenos Aires, Roma, Nova York e outras importantes praças mundiais pela Inffinito Foundation, dirigida pelas Guerreiras de Ouro Adriana Dutra, Viviane Spinelli e Cláudia Dutra, vem há anos recebendo o suporte do Ministério da Cultura do Brasil, da Secretaria do Audiovisual, do Ministério das Relações Exteriores, do Fundo Nacional da Cultura, e de grandes empresas como a American Airlines, Petrobras, Kodak e dos governos municipais onde se apresentam. A seriedade, a competência e o empenho em valorizar o cinema nacional fizeram do Circuito Inffinito de Festivais a mais celebrada vitrine de audiovisuais brasileiros no exterior.

Fonte: Brazilian Times