Publicado em 12/11/2012 as 12:00am

Corpo do ator e diretor Marcos Paulo será cremado nesta terça

O corpo do diretor e ator Marcos Paulo Simões, que morreu aos 61 anos em decorrência de uma embolia pulmonar, em sua casa no Rio de Janeiro, foi velado a partir de 11h da manhã desta segunda-feira (12), na capela 1 do Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro.

O corpo do diretor e ator Marcos Paulo Simões, que morreu aos 61 anos em decorrência de uma embolia pulmonar, em sua casa no Rio de Janeiro, foi velado a partir de 11h da manhã desta segunda-feira (12), na capela 1 do Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro. A cerimônia contou com a presença de amigos, parentes e colegas de Marcos. Por volta das 15h foi realizada uma cerimônia católica que durou cerca de 30 minutos, comandada pelo padre Lídio, o mesmo que fez o batizado de Giulia, filha de Marcos com a atriz Flávia Alessandra. O corpo do diretor será cremado efetivamente na terça-feira.

A partir das 16h os familiares começaram a deixar o velório. A primeira foi Flávia Alessandra acompanhada da filha, Giulia, e de Otaviano Costa. Amparada por amigos e muito abalada, Antonia Fontenelle, atriz que mantinha um relacionamento com o diretor desde 2007 saiu em seguida, assim como Renata Sorrah.

Ao falar com a imprensa, Antonia lamentou a morte do marido, relembrando o câncer do qual ele havia se curado. "Depois de falar que o câncer havia sumido, ele morreu nos meus braços. Foi muito rápido, mas Deus quis assim. Acho que as pessoas do bem vão logo. Perdi um companheiro e um amigo, mas a hora da gente não é a hora dos céus", afirmou.

De acordo com a atriz, Marcos Paulo estava com febre há cerca de uma semana, o que poderia indicar malária: "Ele já vinha com uma febre com características de malária há uma semana, desde que foi procurar locações na Amazônia". Ela ainda disse que o diretor "não sofreu" no momento. "A respiração foi parando de repente. Ele não sofreu, morreu em casa".

Emocionada, Antônia disse que levará boas lembranças de seu relacionamento com Marcos Paulo. "Fica uma história linda, um amor mútuo, uma parceira, um anjo que passou na minha vida", declarou. Ela ainda adiantou que as cinzas do ator deverão ser jogadas em uma praia em frente à casa do casal, lugar que ele gostava muito.

Questionada sobre a vida profissional de Marcos, que havia acabado de produzir o especial do "Show da Virada", a atriz disse acreditar que ele já havia atingido sua realização nessa área da vida. "Acho que ele fez tudo o que poderia, não ficou faltado nada", falou, acrescentando que tem "um carinho especial" pelos trabalhos que fizeram juntos, como "Malhação" e "Vida Divididas".

Com o marido Otaviano Costa, Flávia Alessandra chegou abraçada a Giulia, fruto de seu relacionamento de 11 anos com Marcos Paulo. Já Renata Sorrah, que foi casada com ele entre 1981 e 1984, estava acompanhada da filha de ambos, Mariana, e seu genro, Hugo Tristão.

As três filhas do diretor, Giulia, Mariana e Vanessa, do casamento dele com a modelo Tina Serina, enviaram uma coroa de flores ao velório. Nela, se lia "Sempre te amaremos. Com muitas saudades, de suas filhas Jujuba, Mari e Vanessa". Famosos como a apresentadora Xuxa, o casal Angélica e Luciano Huck, Ana Furtado e Boninho, Jayme Monjardim e Daniel Filho também enviaram coroas de flores.

Vanessa chegou por volta das 12h30. Com sua chegada, o velório passou a ser aberto ao público em geral e à imprensa.

Também compareceram ao velório Otávio Augusto, Fernanda Vasconcellos, Malu Mader e Deborah Evelyn, assim como o diretor Dennis de Carvalho. O pai de Marcos Paulo, Vicente Sesso, 79, também esteve no local.

Repercussão

O ator Luiz Magnelli lamentou a perda de Marcos Paulo em entrevista ao UOL: "Ele sabia tudo, era muito bom. Adorava trabalhar com ele. Ele era fora de série, não só como diretor, mas como amigo. Vai deixar saudade".

Malu Mader, que teve um relacionamento com o diretor entre 1984 e 1987, também disse que sentirá falta dele. "Um amigo que deixa saudade. Muita", afirmou. Já ator e humorista Marcius Melhem lembrou as qualidades de Marcos Paulo. "É triste, muito triste. Era um amigo, diretor, parceiro e companheiro".

Osmar Prado, ator que foi chamado pelo diretor para trabalhar no filme "Assalto ao Banco Central", lembrou que ele era liberal em seu trabalho. "Ele era muito bem-humorado, inteligente, ótimo caráter. É o momento de ele descansar. Fez uma belíssima carreira. Era um diretor liberal, tinha confiança no que fazia, não precisava ser autoritário".

Ao comentar a morte, o humorista Leandro Hassum revelou que ficou em débito com o diretor. "Fiquei devendo um vinho para ele. É uma grande perda para a TV. Era um querido amigo". Já a atriz Cássia Kiss lembrou que teve um desentendimento com Marcos Paulo, mas já havia resolvido a questão. "Tive uma briga muito séria com ele, mas pedi perdão, ele também e fizemos as pazes. O perdão é o que faz a gente caminhar", disse ela.

Também presente no velório, Luigi Barricelli lembrou a disposição que o diretor tinha em sua vida. "Tinha 61 anos, mas ele me surpreendia com a disposição, com o vigor. Parecia um garoto. Ele foi além de bom ator e diretor, um líder que se preocupava com a alma", afirmou, acrescentando que a doença de Marcos Paulo serve de lembrete para ter cautela com os excessos da vida. "Temos que viver melhor, não se preocupar tanto com as coisas, pensar só em trabalho".

O ator Stênio Gracia, que trabalhou com Marcos Paulo desde a época da emissora Excelsior, afirmou que a morte do amigo foi muito "inesperada" e que irá fazer uma homenagem a ele. "Assim como faço para todos os amigos que se vão, vou plantar uma árvore em homenagem a ele. A volta do Carga Pesada foi graças a ele, que batalhou cinco anos para isso".

Boni, diretor da Globo, também se disse surpreso com a morte de Marcos e revelou que ele era uma pessoa muito benquista dentro da emissora: "Nos pegou de surpresa. Há três semanas, ele recebeu a notícia sobre a remissão total do câncer. A última conversa que tivemos foi durante o lançamento do filme Rio. Ele foi uma pessoa que estreou fazendo um sucesso extraordinário. Talvez seja uma das pessoas mais queridas da TV Globo".

O ator Antonio Pitanga, que havia se encontrado com Marcos Paulo no 9º Amazonas Film Festival, o chamou de "garoto" ao lamentar sua morte. "É lamentável porque ele era um garoto de 61 anos. Como dizem os antigos, só morre quem está vivo. Nos encontramos em Manaus, ele tinha conversado com o secretário de cultura de lá para gravar um filme", contou.

Já a atriz Maria Paula disse estar "desolada". "Depois de ganhar uma luta daquelas [o câncer no esôfago], ninguém esperava isso. Só dá para acreditar que era a hora. É uma tristeza absoluta. Ele era um homem lindo, alegre, amoroso e talentoso", lamentou

Kayky Brito que trabalhou com o diretor em "O Beijo do Vampiro", disse que até hoje carrega com ele a moeda de um dólar que ganhou de presente. "Ele me deixou uma moeda de um dólar, que dava sorte para ele. Eu guardo até hoje com muito carinho. É um amuleto", garantiu.

"Marcos era um homem elegante, carinhoso. Passamos a última virada do ano juntos, vim deixar meu carinho, admiração e respeito por ele. Espero para que a família fique bem", torceu o ator Murilo Rosa. Marcos Frota ressaltou a gentileza do diretor "em conduzir uma cena". "A missão dele foi cumprida, que o espírito dele seja recebido", disse.

E Susana Vieira, abalada, contou que chamava o diretor de "Marquinhos". "Conhecia o Marquinhos desde bebê, o Vicente [Sesso] não merecia passar por isso", opinou.

Embolia

Marcos Paulo morreu de embolia pulmonar, informou a CGCom. Ele se sentiu mal em Manaus, onde participava do 9º Amazonas Film Festival acompanhado da esposa, Antônia Fontenelle. Quando os dois retornaram ao Rio de Janeiro, na manhã de domingo, estava com febre.

Na noite do mesmo dia, o diretor começou a passar mal e a atriz ficou assustada. Eles começaram então os preparativos para ir ao hospital, mas Marcos Paulo desmaiou e morreu às 21h.

Em outubro deste ano, o ator realizou exames de rotina no Hospital São José, em São Paulo, nos quais foi constatada a remissão total de câncer.

Segundo boletim médico, ele estava com a "saúde perfeita e o câncer do esôfago em total remissão", ou seja, sem a presença de células cancerígenas.

Marcos Paulo iniciou tratamento contra o câncer em maio de 2011, quando foi detectada a doença em um exame de rotina. Em agosto, o diretor passou por uma cirurgia para retirada do tumor e, para isso, passou 20 dias internado.

Fonte: uol.com.br