Publicado em 16/11/2013 as 12:00am

Doctor Who - 50 Anos | Os Símbolos

Doctor Who - 50 Anos | Os Símbolos

Um dos maiores atributos de Doctor Who é ter ganhado uma versão moderna em 2005, onde os vários elementos já conhecidos da série estabeleceram a conexão entre a era clássica e a contemporânea. Tudo estava lá: a música-tema, a TARDIS, os Daleks, entre outros. Saiba quais são os dez itens mais icônicos de Doctor Who.

A música-tema

Quando foi ao ar pela primeira vez em 23 de novembro de 1963, Doctor Who exibiu seu tema, que permanece praticamente inalterado até hoje, apenas com alguns toques diferentes de remixagem - incluindo a estreia da série moderna em 2005, com um novo arranjo feito por Murray Gold.

A pedido de Verity Lambert, a primeira produtora da série, entra em cena o canadense Ron Grainer, acompanhado de Delia Derbyshire, a funcionária da BBC Radiophonic Workshop que nunca recebeu créditos por sua co-criação.

Delia usou a base criada por Grainer e adicionou diversos sons que foram alterados analogicamente para dar um efeito de ficção científica próprio dos anos 1960, em uma época em que ainda não existiam sintetizadores. Os "barulhinhos" foram criados separadamente e, para chegar ao tom certo, eles foram colocados em loop, sua velocidade era reduzida, além de cortes feitos manualmente nas fitas para encaixar no tempo certo. A versão final envolveu diversos gravadores tocando simultaneamente enquanto o tema era gravado por um outro gravador.

Quando Grainer ouviu a música finalizada pela primeira vez, perguntou a Delia: "eu que escrevi isso?", e ela respondeu "praticamente tudo". O tema de Doctor Who é um dos que foram usados por um período mais longo, junto com o tema de James Bond (que é de 1962). Hoje, apenas o toque dos primeiros acordes é o suficiente para reconhecer que estamos diante das aventuras do Doutor e seus companheiros.


Fonte: www.uol.com