Publicado em 13/12/2013 as 12:00am

Médico diz que Reginaldo Rossi apresenta melhora em saúde

12/12/2013 13h18 - Atualizado em 12/12/2013 16h19 Médico diz que Reginaldo Rossi está respondendo bem ao tratamento

"Estamos bastante animados com os resultados", disse, nesta quinta-feira (12), o médico Jorge Pinho sobre o estado de saúde do cantor e compositor Reginaldo Rossi. "Ontem à noite a reação não foi muito boa, mas com a mudança dos medicamentos e a adição de outros, nessa madrugada a resposta foi muito boa. E os exames laboratoriais dessa manhã foram bastante animadores", afirmou Pinho, médico responsável pelo tratamento. O artista está internado desde o dia 27 de novembro no hospital Memorial São José, no Recife. Na quarta-feira (12) foi confirmado o diagnóstico de câncer nos pulmões. Rossi respondeu mal à primeira sessão de quimioterapia, na quarta, e precisou de hemodiálise e remédio para controlar a pressão. Segundo Pinho, no final da manhã o médico plantonista da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) informou que a pressão arterial do artista normalizou, o funcionamento dos rins está melhorando e os exames laboratoriais também estão melhores. "Tanto é que ele vai fazer a segunda rodada de quimioterapia hoje [quinta] às 14h, então é sinal de que o doente está respondendo e que podemos antever o sucesso. Essa hemodiálise vai ser mantida como prevenção", comentou Pinho. Reginaldo Rossi está entubado, em ventilação invasiva e sedado. "Nós estamos atuando com antibioticoterapia para poder debelar a infecção. Ele será reavaliado pelos médicos Flávio Galindo, Tomás Gesteira, Murilo Guimarães e José Iran, ou seja, toda a equipe médica. É normal em uma UTI o paciente ter picos e declínios", explicou. De acordo com Jorge Pinho, a quimioterapia inclui duas drogas por três dias e pode prever seis a oito ciclos que podem se repetir de acordo com a resposta do paciente. Na manhã desta quinta, o cantor ainda respirava com ajuda de aparelhos e apresentava um quadro de infecção. Na noite da quarta (11), Reginaldo precisou tomar remédios para controlar a pressão. A quantidade de remédios, no entanto, já diminuiu. O tratamento teve início após o diagnóstico de câncer de pulmão, confirmado na própria quarta. "Estamos tratando um paciente que sofre de insuficiência renal, hepática e respiratória e hipertensão arterial, então é necessário um cuidado maior", comentou o médico no primeiro dia de tratamento.

Fonte: (G1)