Publicado em 21/07/2014 as 12:00am

Cidade de praia dos EUA transforma tubarões em atração turística

Após aumento de tubarões brancos, local transformou animal em símbolo. Camisetas, doces e bebidas temáticas fazem sucesso entre visitantes.

Um município de veraneio dos Estados Unidos conseguiu transformar uma situação que poderia afugentar os visitantes em um chamariz para o turismo local. Depois que tubarões brancos passaram a se tornar mais comuns em sua costa, a elegante cidade de veraneio de Chatham, no estado de Massachusetts, decidiu explorar turisticamente o animal.

Roupas, joias, doces, bichos de pelúcia e bebidas com motivos de tubarões podem ser encontrados em várias lojas do lugar. Um dos empreendedores é o comerciante Justin Labdon, que começou a vender camisetas de tubarões com o nome da cidade depois que clientes que alugavam caiaques e pranchas começaram a perguntar se era seguro entrar no mar. "A venda dos produtos com estampa de tubarão cresceu 500%" disse ele, que vende até coleiras para cães temáticas.

Nas praias de Chatham, turistas usam binóculos nas praias de operados por moedas na esperança de conseguir ver a barbatana de algum tubarão. Além disso, o filme "Tubarão", de Steven Spielberg, tem passado nos cinemas locais, e e barcos estão levando os visitantes para ver a enorme população de focas cinzentas da região. São essas focas que atraem os grandes predadores para a região, já que sua gordura é o alimento preferido dos tubarões brancos.

Ameaça

Os tubarões brancos, em geral, não são vistos como uma grande ameaça aos humanos. Confrontos com pessoas são raros, com apenas 106 ataques de tubarões brancos reportados nas águas dos EUA desde 1916 -- 13 deles fatais.

Ainda assim, autoridades fazem alertas aos banhistas e afirmam ter consciência do dano que o turismo local pode sofrer se um desses predadores morder alguém em Chatham.

"As pessoas precisam saber que se vão à praia e virem uma família de focas lá, aquele não é provavelmente o melhor lugar para ficar", afirmou uma das coordenadoras da Câmara de Comércio da área.

Fonte: g1.globo.com