Publicado em 15/09/2014 as 12:00am

Drama gay de roteirista brasileiro é censurado nos Estados Unidos

O roteirista brasileiro Mauricio Zacharias trabalha atualmente no lançamento de dois filmes em países diferentes, "O Amor é Estranho", nos Estados Unidos, e "Rio, Eu Te Amo", no Brasil.

O roteirista brasileiro Mauricio Zacharias trabalha atualmente no lançamento de dois filmes em países diferentes, "O Amor é Estranho", nos Estados Unidos, e "Rio, Eu Te Amo", no Brasil. Há quase 20 anos morando em Nova York e com dois longas americanos no currículo, Zacharias nunca deixou de trabalhar em produções brasileiras, o que lhe dá experiência suficiente para comparar os dois países frente a filmes polêmicos. 

Estrelado pelos veteranos Alfred Molina e John Lithgow, o drama gay "O Amor é Estranho" ganhou as páginas dos jornais nos EUA e Inglaterra não só para pelas boas críticas, mas por ter levado o carimbo "R" da associação que determina a classificação indicativa dos filmes, o que significa que o longa só pode ser visto por maiores de 17 anos, ou menores, desde que acompanhados de adultos.

O roteirista afirma ainda que o filme pode ser comparado ao brasileiro "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", que trata da descoberta do amor entre dois meninos e que teve ampla aceitação no Brasil, onde fez mais de 150 mil espectadores. 

Assim como em "Amor é Estranho", o longa de Daniel Ribeiro também não tem cenas de sexo e ganhou classificação indicativa de 12 anos por aqui. "Enquanto o 'Hoje eu Quero' trata da descoberta do amor, o nosso fala do amor no fim da vida. Acho que os brasileiros aceitam bem esse tipo de situação".

Fonte: Da Redação