Publicado em 2/02/2016 as 12:00am

Sucesso na TV e 'made in Brazil', Luna é o fenômeno infantil da vez

Personagem já está em 74 países, foi parar nas lojas e vai virar musical. Marca 'O Show da Luna!' já foi licenciada para cerca de 30 empresas.

Peppa Pig e Galinha Pintadinha que se cuidem. A Luna chegou e, em pouco mais de 1 ano, já se tornou o fenômeno infantil da vez. Criada pelos brasileiros Célia Catunda e Kiko Mistrorigo (os mesmos autores de "Peixonauta"), a série de animação "O Show da Luna!" é um sucesso na TV e aposta no mercado de licenciamentos.

Caso você ainda não conheça a Luna e não tenha ouvido o bordão e refrão "Eu quero saber!", saiba que se trata de uma menina apaixonada por ciências, cheia de perguntas, que tem um irmão chamado Júpiter e um furão de estimação chamado Cláudio (veja, no vídeo abaixo, a autora desenhando a personagem principal).

Lançado em 2014, o desenho já chegou a 74 países. No Brasil, a primeira temporada com 26 episódios é exibida pelo Discovery Kids, pela TV Brasil e pela TV Aparecida.

A segunda temporada de Luna, com mais 26 episódios, estreia na TV paga no dia 22 de fevereiro.

Segundo o Discovery Kids, a série terminou 2015 como líder de audiência do canal, no consolidado do ano, desbancando sucessos mais antigos como "Peppa" e "Doki", ainda que as diferenças de pontuação entre os programas mais assistidos sejam de apenas décimos.

A Kantar Ibope, que mede a audiência no país, não divulga ranking anual ou dos desenhos mais vistos da TV paga. Desde o final de dezembro, entretanto, o serviço passou a divulgar semanalmente os programas mais vistos no horário mais nobre. E Luna ficou no top 10 em 5 dos 6 últimos relatórios.

Segundo o último ranking, referente ao período entre os dias 18 e 24 de janeiro, "O Show da Luna" foi o 6º programa mais visto da TV paga no Brasil, ficando atrás somente das transmissões de futebol ao vivo (Sportv), de “Big Brother Brasil” ao vivo (Multishow), das sessões de “Peppa” (Discovery Kids) e dos filmes da “Sessão 10h noite” (Megapix). Luna superou na semana as audiências dos desenhos "Aventuras com os Kratts" (Discovery Kids) e "Titio Avô" (Cartoon Network).

Estreou primeiro nos EUA

A animação foi lançada, curiosamente, nos Estados Unidos, com a versão em inglês (“Earth to Luna”) sendo exibida pela primeira vez em agosto de 2014 na NBC, no retorno das férias de verão dos americanos. No Brasil, Luna entrou no ar dois meses depois, em 12 de outubro, no Discovery Kids, coprodutor da série. Na TV Brasil, está na programação desde agosto de 2015.

"Criamos entretenimento infantil, procurando pensar sempre num produto globalizado. Por isso, toda a produção já é feita primordialmente em inglês", explica o produtor Kiko Mistrorigo, o "pai da Luna", que comanda a TV PinGuim ao lado da diretora de arte e desenhista Célia Catunda, a "mãe da Luna".

Segundo ele, nos EUA e Reino Unido, a Luna também já está entre os três desenhos mais vistos nos canais de exibição.

Quem abriu as portas do mundo para a Luna foi a animação anterior da produtora TV PinGuim, "Peixonauta", que começou a ser oferecida em 2009 e é exibida atualmente em 90 países.

"A gente sempre viu o inverso, coisas chegando depois de já ter chegado em todos os lugares. Aos poucos isso está mudando. O Brasil deixou de ser uma novidade na área, e o ambiente de produção local melhorou muito com a lei de cotas no audiovisual", diz Kiko Mistrorigo.

Origem da Luna

O projeto da animação começou em 2010, mas a ideia da personagem nasceu em 2006. E não se trata de nenhuma inspiração em filha, sobrinha ou parente.

"A personagem surge do traço em primeiro lugar. Certa vez eu desenhei um esboço sem muito compromisso e, a partir daí, comecei a pensar numa protagonista feminina, forte, e me ocorreu falar em ciência, do ponto de vista da curiosidade", explica Célia Catunda.

O nome de batismo da personagem só veio mais tarde. "Queríamos um nome simples, que tivesse relação com as coisas que ela vê na série e também que não precisasse ser traduzido", conta a desenhista. Em espanhol, a animação ganhou o nome "El mundo de Luna".

A dupla de criadores é da geração que teve como principal escola a TV Cultura, com participação em programas como "Castelo Rá-Tim-Bum", além de ter como parceiros nomes renomados do audiovisual brasileiro. A música tema criada para "O Show da Luna" foi musicada por Paulo Tatit, do Palavra Cantada. Já a trilha sonora ficou a cargo de André Abujamra.

E quais seriam os ingredientes para o sucesso da animação? "A Luna traz uma protagonista feminina, o que já não é muito comum. E é uma menina sem frufru. Além disso, a série não tem nenhum adulto, máquina ou Google que tira as dúvidas. É ela que vai atrás e, pela imaginação, consegue formular as próprias hipóteses e tirar as conclusões", analisa Mistrorigo.

Luna nas prateleiras

Como todo fenômeno, Luna rapidamente foi parar nas prateleiras das lojas. Além de bonecos e brinquedos, a personagem estampa roupas, produtos de papelaria, artigos para festa e até alimentos.

O licenciamento está a cargo da Redibra, agência que também negocia as marcas "Peixonauta" e "Galinha Pintadinha" (da Bromélia Produções). Segundo David Diesendruck, diretor da empresa, "O Show da Luna" já possui parcerias fechadas com cerca de 30 empresas, sendo cinco no exterior.

Ele explica que Luna ainda não desbancou o fenômeno "Galinha Pintadinha" – licenciada para cerca de 100 empresas –, mas lembra que os primeiros produtos com a imagem da menina curiosa foram lançados apenas no segundo semestre de 2015.

Embora não abra os números, a Redibra informa que apenas os personagens “Galinha Pintadinha", "Peixonautas" e “Show da Luna” geraram no último ano cerca de R$ 500 milhões em produtos licenciados. Para 2016, a expectativa com os três personagens é de um crescimento de até 35%.

Segundo ele, apesar do aumento da procura, a estratégia é a construção de uma marca de vida longa. "Não queremos inundar o mercado. Em alguns casos, é melhor deixar faltar [produtos]. Não queremos passar a ideia de que se trata apenas de bola da vez", afirma o executivo.

60% da receita de produtora vem de exportação

Os criadores de Luna também não revelam números de vendas. Confirmam apenas que a personagem já virou o carro-chefe da produtora. "O que podemos dizer é que Luna já superou Peixonauta e que nosso faturamento já é 60% exportação", diz Mistrorigo.

De uma equipe de oito pessoas dos tempos pré-"Peixonauta", em 2008, a TV PinGuim passou a ter 50 funcionários. No momento, a produtora trabalha na roteirização da terceira temporada de "Luna" e no desenvolvimento de uma nova série, batizada de "Ping-Pong", em parceria com canais do Canadá.

"Estamos trabalhando para não apenas aumentar o número de países, mas principalmente ampliar a penetração em outras mídias e estabelecer parcerias para licenciamento de produtos fora do Brasil", diz Célia.

E em 2016, o "O Show da Luna" vai virar também espetáculo musical, numa parceria que acaba de ser fechada com a Time For Fun (T4F), com planos de turnê para percorrer o país. “A supervisão artística é nossa e estamos fechando a equipe agora. Provavelmente, será com bonecos, atores com fantasia e músicos”, revela Célia.

 

Fonte: http://g1.globo.com

Top News