Publicado em 6/10/2016 as 10:00am

Pesquisa indica que a solidão pode ser a maneira mais eficaz de descanso

Pesquisa indica que a solidão pode ser a maneira mais eficaz de descanso

O que significa descansar para você? Uma pesquisa recente realizada pela BBC em parceria com o coletivo de pesquisadores Hubbub, vinculado à Durham University, na Inglaterra, ouviu 18 mil pessoas de 134 países sobre o assunto e chegou a resultados surpreendentes sobre o significado do descanso.
A pesquisa teve início em novembro do ano passado e buscava entender como as pessoas gostam de descansar, além de avaliar se existe uma relação entre descanso e bem-estar. Entre os dados inusitados que apareceram na pesquisa, chama a atenção o fato de que cerca de 9% dos entrevistados associou o descanso às palavras “culpado” ou “estresse induzido”, mostrando que para muitas pessoas descansar ainda é sinônimo de preocupação.
Em outro momento, os participantes do teste foram convidados a escolher as atividades que consideravam mais relaxantes dentro de uma lista. “Ler” foi a atividade escolhida pela maioria, seguida por opções como “estar em um ambiente cheio de natureza”, “estar sozinho”, “ouvir música”, e “fazer nada”. Ao analisar estas respostas, os pesquisadores perceberam que, em sua maioria, estas são atividades que fazemos sozinhos.
Uma das explicações possíveis para isso é que as pessoas poderiam se focar mais naquilo que estão sentindo quando estão sozinhas. Mas, além disso, o fato de estarem sozinhas faz com que estas pessoas consigam se desligar de si mesmas também, enquanto ficam algum tempo sem pensar em nada.
O estudo também mostrou que as pessoas que haviam descansado menos no dia anterior tinham uma pontuação menor em termos de bem-estar do que aquelas que haviam descansado mais horas. O melhor índice de bem-estar nesse sentido foi encontrado por aqueles que haviam descansado entre cinco de seis horas nas últimas 24 horas.
Outro dado interessante foi a opinião das pessoas ao responder a pergunta sobre descansar ser o oposto de trabalhar. A maioria dos entrevistados que tinham um emprego fixo acreditava que sim, enquanto pessoas que trabalhavam como autônomas ou exerciam atividades voluntárias tiveram tendência a dizer que não, o que mostra que a diferença na percepção do que é descanso pode também estar associada à atividade exercida por cada pessoa.

Fonte: hiperness