Publicado em 17/05/2017 as 12:30pm

Criador do grupo Realejo vai participar do UF Brazilian Music Institute, na Flórida

Criador do grupo Realejo vai participar do UF Brazilian Music Institute, na Flórida

Cesar Meneghette, músico que criou o grupo Realejo, em 1981, com Lory e Bene Ferreira, vai representar o Brasil neste mês em um evento de música nos Estados Unidos. O rio-pretense é um dos artistas convidados do UF Brazilian Music Institute, na Flórida, um dos maiores eventos de música brasileira dos EUA. O evento será realizado no período de 22 a 27 de maio. Além de Meneghette, terá a participação de músicos de outros estados brasileiros.

Com o Realejo e outros grupos que participou tocando bateria e percussão, Meneghette viajou Brasil afora participando de festivais, lançou discos e apresentou-se em palcos emblemáticos da MPB. No entanto, será a primeira vez que ele viaja para fora do País. Paralelo à música, Meneghetti é professor de biologia. Neste cenário, ele conta que terá facilidade em compartilhar seu conhecimento com os participantes do evento norte-americano.

Meneghetti vai ministrar aulas de timba e cajon, que são instrumentos tipicamente brasileiros e nos Estados Unidos, pouco conhecidos. “Levarei os dois instrumentos para os alunos conhecerem e que foram feitos por mim. Além de falar sobre o som, vou compartilhar com os participantes como foi feito os instrumentos, os tipo de madeiras e as técnicas utilizadas na produção. É bacana falar sobre o processo artesanal.”

O artista conta que terá atividades o dia todo. De manhã, serão feitas as aulas, à tarde, os ensaios e à noite, os shows. Após as aulas, o rio-pretense também irá participar de apresentações como percussionista. “Tanto as aulas quanto os shows serão focados na música nordestina junto com os outros professores de lá.”

O evento terá início apenas no dia 22, no entanto, o música já está nos Estados Unidas. Na cidade de Gainesville, ele também participará de algumas apresentações como percussionista convidado. “Nesses encontros, assim como nas atividades do evento, poderei tocar outros instrumentos também, como triângulo e zabumba. Tudo vai depender da interação com os outros participantes”, afirma.

Meneguette, que tem 58 anos, conta que o convite para ir além do limites nacionais foi feito por Welson Tremura, que é natural Olímpia, morou em Santos e viveu em Rio Preto durante alguns anos. Durante sua passagem pela cidade, Meneguette e Tremura se conheceram, se tornaram amigos e fizeram várias apresentações em bares e casas noturnas. Ele se mudou para os EUA para fazer faculdade e é hoje é um dos maiores pesquisadores do folclore brasileiro e o de Olímpia.

O UF Brazilian Music Institute é realizado por Tremura desde 2001, na Universidade da Flórida, que tem um instituto de artes. Combinando estilos clássicos e populares de música, a cada ano o evento traz artistas de destaque para uma semana de aprendizado, troca de experiência e expansão de possibilidades para aprender e tocar música brasileira. A programação conta com ensaios diários e aulas em grupo com os artistas convidados.

O evento chega à 17ª edição, será realizado no Broward College e é indicado para cantores, guitarristas, percussionistas, bateristas, pianistas e outros instrumentistas. Nesta edição, o evento contará, além de Cesar Meneghette, com os músicos Sinhô Francisco, Ulisses Rocha, Welson Tremura, Larry Crook, Vadim Arsky, Alex Berti, Jason Hainsworth, Mike Orta, Scott Wilson, Beatriz Malnic. Está agendado um concerto final no dia 26, em Bailey Hall (Davie), intitulado Terra Brasil, com artistas convidados e participantes selecionados do evento.

Fonte: Brazilian Times