Publicado em 19/07/2017 as 11:00am

Em turnê pelos EUA, Whindersson Nunes concedeu entrevista exclusiva ao BT

Fenômeno de público, o jovem humorista nascido no Piauí mantém os “pés no chão” e atribui o sucesso a sua dedicação e perseverança.

Em turnê pelos EUA, Whindersson Nunes concedeu entrevista exclusiva ao BT Por onde passa o comediante leva uma multidão para gargalhar com seus espetáculos.

Semana passada o humorista e youtuber brasileiro Whindersson Nunes passou por Massachusetts e pela Florida onde fez três apresentações do seu espetáculo “Proparoxítona”, marcando a estreia da BIS Entertainment em Boston e celebrando os 2 anos da empresa que traz espetáculos do Brasil para a Florida e agora também Massachusetts.

Sucesso de público, em Boston foi necessário abrir uma sessão extra, pois em duas semanas de vendas exclusivamente online, os ingressos se esgotaram.

Em Orlando e Miami o sucesso não foi diferente: Whindersson conseguiu a façanha de lotar os teatros por onde se apresentou, arrancando gargalhadas e muitos elogios do público.

Apesar de jovem e com um sucesso estrondoso, o humorista mantém os “pés no chão”, sendo atencioso com o público que o aborda para pedir autógrafos e tirar fotos. Whindersson é agenciado pela Non Stop Produções, empresa que atua no gerenciamento de carreira de talentos artísticos, desde a criação até a execução, passando pela implementação em diversas plataformas de comunicação.

E no dia seguinte levou o público ao delírio no Olympia Theater em Miami.

O fenômeno Whindersson Nunes bateu um papo com exclusividade com a reportagem do Brazilian Times que você confere agora.

BT: Em qual momento você teve noção da dimensão do sucesso que estava fazendo?
WN: Quando as pessoas começaram a me reconhecer na rua, percebi que estava ficando conhecido.

BT: Você ainda consegue sair nas ruas, ir ao shopping ou ao cinema sem causar tumulto?
WN: No Brasil não dá mais, mas eu continuo saindo, principalmente para ir ao cinema.

BT: Quem são suas referências no humor?

WN: Minha grande referência foi o Tirullipa, além do Dirceu Andrade, do Piaui.

BT: Os textos dos seus espetáculos são escritos só por você ou você conta com a colaboração de roteiristas?

WN: São feitos por mim, eu os escrevo e vou aperfeiçoando no palco. Vou vendo o que funciona e o que não funciona.

BT: No espetáculo "Proparoxítona" você consegue fazer de histórias comuns, excelentes piadas. Você é muito observador?

WN: Eu anoto tudo que acredito que possa virar piada, depois vejo como posso rir da situação.

BT: Além do talento, a que ou a quem você atribui o seu sucesso? 
WN: A dedicação e perseverança, pois eu sempre acreditei que um dia chegaria.

BT: Como foi para você essa primeira turnê americana?

WN: Foi sensacional, sábado fechamos com chave de ouro em Miami, foi muito bom encher os teatros nos EUA, receber o carinho dos brasileiros que saem dos seu país para buscar uma vida melhor, trazer alegria a essas pessoas não tem preço.

O comediante lotou a plateia do Bob Carr em Orlando em apresentação no dia 14.

Fonte: Thaís Partamian Victorello

Top News