Publicado em 1/09/2017 as 3:00pm

'Contratempo': suspense com um dos finais mais surpreendentes

Filme espanhol resgata estética de Hitchcock e apresenta trama espetacular.

'Contratempo': suspense com um dos finais mais surpreendentes Divulgação

Quando decidimos assistir a um filme, somos atraídos pelo elenco, pela trama, pela publicidade ou pelo gênero. Se a vontade é de rir, a escolha é a comédia. Se for chorar, drama. E assim vai! Porém, quando escolhemos um suspense, esperamos que o filme nos surpreenda, nos deixe tensos ou nervosos e torcendo por uma ou outra personagem.

O longa espanhol 'Contratempo' (Espanha, 2017), lançado nos cinemas do país europeu em janeiro deste ano (ainda inédito no Brasil) deixa qualquer um com o queixo no chão. Quando lemos a sinopse, imediatamente criamos a expectativa de ser um filme normal sobre crime, vingança, traição, com o plus de contar com paisagens belíssimas da Catalunha, na região de Barcelona. Grande engano, o filme pode ser descrito como um suspense cebola, cheio de camadas, onde nada é o que parece, nem ninguém está acima de qualquer suspeita.

A trama gira em torno da confusão em que se encontra o jovem empresário de sucesso Adrian (Mario Casas), acusado da morte da amante. Todas as provas apontam em sua direção e, para tentar se livrar da cadeia, recebe o apoio de uma conceituada advogada, que vai ajudar na elaboração de uma estratégia de defesa.

Boa parte da história se desenrola no apartamento de Adrian, onde ele e a advogada Virginia Goodman (Ana Wagener) falam sobre como livrá-lo da acusação e ela o pressiona ao máximo para tentar descobrir a verdade. Nesta conversa, brilhantemente intercalada por flash backs do que ele está contando a ela, descobrimos que há não somente uma morte, mas sim duas. O problema é que existe apenas um corpo. Ou seja, o espectador se vê diante de dois assassinatos, um corpo e um grande mistério - tendo a sensação de que se é enganado durante todo o filme. Para completar o cenário, toda a trama se desenrola em paisagens deslumbrantes.

Qual peça afinal falta neste quebra cabeça? Como esse jogo de gato e rato entre a advogada durona e o cliente misterioso vai acabar? Claro, como todo o bom (neste caso, excelente) suspense, com uma reviravolta de nos deixar completamente atônitos na frente da tela. Mas completamente.

Não deixe de assistir na Netflix esta verdadeira pérola do suspense, que remete aos filmes do mestre do suspense Alfred Hitchcock. Na direção e roteiro, um jovem cineasta espanhol que vem se destacando na Europa, Oriol Paulo, que lançou o elogiado suspense 'Os Olhos de Júlia', em 2010, e 'O Corpo', em 2012.

A crítica especializada já considera Contratempo um dos melhores filmes de 2017.

Fonte: noticiasaominuto.com.br

Top News