Publicado em 15/07/2008 as 12:00am

Craques da seleção brasileira falam de planos e futuros

Em entrevista ao jornal Brazilian Times, alguns deles falaram de suas atuações e quais os prognósticos para o futuro.

Adriano ? Inter de Milão

Brazilian Times ? Como é estar de volta a seleção depois de todos os problemas que você passou?

Adriano ? É ótimo. Consegui me recuperar bem no São Paulo, e isso fez com que eu  voltasse a seleção. Espero que possa fazer um bom trabalho e permanecer na equipe.

Brazilian Times - Você entrou bem na vitória contra o Canadá. Como vai ser jogar esse (em relação à Venezuela)?

Adriano ? Tem tudo pra ser um bom jogo. O contato fisico vai fazer muita diferença em um jogo como esse, de muita rivalidade. Como sou forte tenho que aproveitar essa qualidade, me impor em campo.

 

Anderson ? Manchester United

Brazilian Times ? Você está vivendo uma boa fase na Europa, como se sente nesse jogo em Boston?

Anderson ? A temporada foi muito boa pra mim, conquistei dois títulos na Inglaterra no meu primeiro ano no Manchester, estou muito feliz.

Brazilian Times ? O Manchester é  uma das melhores equipes do mundo, e conta ainda com outros brasileiros. Como é jogar ao lado de tantas de tantas estrelas ?

Anderson - Jogar ao lado de  Cristiano Ronaldo, Tevez e Giggs é muito fácil, só craque. Mas o que importa e que não há vaidade, todos pensam no coletivo.

 

Diego ? Werder Bremen

Brazilian Times ? Como é jogar com a seleção aqui nos EUA?

Diego - Com a grande comunidade brasileira que há em Boston, é como jogar em casa.

Brazilian Times ? Como está a temporada na Alemanha?

Diego ? Estou muito satisfeito na Alemanha, é um clube que tem correspondido a todas as minhas expectativas, portanto, no momento penso apenas em ajudar o Werder Bremen, e as propostas que vierem , o clube irá analisar.

 

Jorginho, auxiliar-técnico da seleção

Brazilian Times  - O que você tem a dizer sobre a derrota para a Venezuela nos EUA?

Jorginho - Apesar do resultado, o dunga está aproveitando para botar todo mundo para jogar, se movimentar, ganhar ritmo de jogo como equipe. O mais importante é que esse jogadores adquiriram uma condição para os próximos jogos e perdemos num momento em que poderíamos perder. Agora é pensar na frente.

 

Fonte: (Brazilian Times)