Publicado em 8/12/2008 as 12:00am

São Paulo vence Goiás e entra para a história como hexacampeão

O São Paulo entrou para a história do futebol nacional neste domingo. Com a vitória por 1 a 0 sobre o Goiás, no estádio Bezerrão, o time de Muricy Ramalho acabou com as esperanças do Grêmio

O São Paulo entrou para a história do futebol nacional neste domingo. Com a vitória por 1 a 0 sobre o Goiás, no estádio Bezerrão, o time de Muricy Ramalho acabou com as esperanças do Grêmio, superou toda a polêmica que antecedeu esta última rodada e conquistou o título do Brasileirão de 2008.

Assim, o Tricolor paulista garante seu lugar na história ao ser o primeiro clube com três títulos consecutivos do Nacional, além de ostentar também o feito inédito de seis troféus no total (1977, 1986, 1991, 2006, 2007 e 2008).

Para confirmar a taça, o São Paulo teve de superar uma semana turbulenta. Depois de discutir com a direção do Goiás sobre o preço dos ingressos e de trocar provocações com jogadores goianos e gremistas, o Tricolor paulista ainda se viu em meio à polêmica da arbitragem para o confronto no Distrito Federal.

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou na véspera da partida a suspeita de tentativa de manipulação de resultados e trocou o árbitro Wagner Tardelli por Jailson Macedo Freitas. A CBF não confirmou o suposto infrator, mas a diretoria tricolor se irritou quando as suspeitas recaíram sobre o clube. Mesmo diante da turbulência, o time manteve a tranqüilidade para fazer sua parte neste domingo.

Artilheiro do clube na temporada, o atacante Borges, em posição irregular, foi o responsável por mandar a bola para as redes e decretar a vitória são-paulina sobre o Goiás.

Assim, independente do resultado do Grêmio em Porto Alegre, o São Paulo cumpriu seu dever ao bater o time esmeraldino, em jogo válido pela última rodada do Brasileirão. Diante de um estádio cheio de são-paulinos na cidade-satélite do Gama (DF), o time de Muricy Ramalho sagrou-se campeão na edição mais disputada da história dos pontos corridos no Nacional.

Além dos feitos coletivos, o São Paulo também transformou alguns jogadores em heróis. O capitão Rogério Ceni foi o primeiro atleta a levantar o troféu do Brasileirão três vezes.

O jogo:Em jogo com clima digno de decisão de campeonato, os atletas de São Paulo e Goiás tentaram esquecer as polêmicas da semana assim que a bola rolou. Postulante ao título, o Tricolor iniciou a partida pressionando o Esmeraldino, que usava o artifício das faltas para barrar boa parte das investidas do adversário. Ciente da dificuldade de furar o bloqueio dos goianos, o Tricolor apostou em jogadas aéreas. Logo aos três minutos, Jorge Wagner cobrou falta na área e obrigou o goleiro Harlei a sair do gol para socar a bola para longe.

No lance seguinte, Joilson tabelou com Richarlyson e cruzou para Borges, que se antecipou à defesa, mas cabeceou para fora. Na resposta dos esmeraldinos, Júlio César fez jogada individual pela esquerda e alçou bola na área, obrigando Miranda a recuar de cabeça para Rogério Ceni.

Porém, o São Paulo continuou mais presente na frente, mesmo mostrando certo nervosismo no jogo. Hernanes avançou pela esquerda e tentou cruzar para Dagoberto, mas a zaga tirou o perigo. No momento em que se lançou com mais afinco ao ataque, o Goiás deu espaço para um perigoso contragolpe do Tricolor. Jorge Wagner correu desde o meio-campo e finalizou cruzado da entrada da área, dando trabalho a Harlei.

Aos 19 minutos, o time esmeraldino perdeu chance incrível. Vítor ganhou da defesa pela direita e cruzou rasteiro para Paulo Baier, que tentou concluir de letra e fez a bola passar perto da trave. No entanto, no lance seguinte, foi a vez de o Tricolor ir à frente para abrir o placar.

Aos 22 minutos, Rogério Ceni cobrou falta da meia-lua e viu Harlei espalmar. No rebote, Hugo cruzou para Borges, que, em posição irregular, mandou para as redes. Os jogadores do Goiás pediram impedimento do atacante são-paulino, mas o árbitro validou o gol. Cinco minutos depois, o Tricolor teve nova chance em falta da meia-lua. Desta vez, Rogério mandou perto do travessão.

Do outro lado, o time esmeraldino tentou responder aos são-paulinos. Thiago Feltri avançou pela esquerda e cruzou para Fausto cabecear para fora. Em função da disputa de bola com Miranda na jogada, o atacante esmeraldino precisou de atendimento médico. Pouco depois, já recuperado da contusão, Fausto ainda pediu pênalti em novo lance com Miranda, mas o árbitro mandou seguir o jogo.

Nos minutos finais, o São Paulo diminuiu a pressão e viu o Goiás aumentar suas ações no sistema ofensivo. Depois de cruzamento da direita, o atacante Fausto, livre, cabeceou com perigo e exigiu defesa de Rogério. Depois do susto, o São Paulo percebeu a necessidade de atacar. Dagoberto chutou com efeito, e Harlei se esticou para espalmar.

No intervalo da partida, Hélio dos Anjos substituiu Júlio César por Adriano Gabiru. Assim que a bola rolou para o segundo tempo, uma forte chuva começou a cair no Bezerrão. Mas o São Paulo não se intimidou e partiu para cima com a intenção de aumentar a vantagem por uma tranqüilidade maior.

O atacante Dagoberto carregou a bola pelo meio e chutou forte para exigir defesa de Harlei. O time paulista seguiu exercendo forte pressão para ampliar a vantagem. Depois de cruzamento na área, Hugo cabeceou e exigiu excelente defesa de Harlei. Instantes depois, o Tricolor desperdiçou chance incrível.

Aos 23 minutos, Borges chutou para exigir mais uma ótima defesa de Harlei, que ainda viu a bola bater na trave antes de a zaga afastar o perigo. Mesmo com as tentativas de Hélio dos Anjos de aumentar a ofensividade do Goiás, com Alex Terra e Romerito, o São Paulo seguiu no comando das ações até o fim da partida, assegurando o título inédito. 

Fonte: (Superesportes)