Publicado em 6/05/2011 as 12:00am

Meio-campista brasileiro é o novo reforço do Revolution

Benny Feilhaber, de 26 anos, foi apresentado aos fãs em tarde de autógrafos na terça-feira(03). Naturalizado norte-americano, ele disputou a Copa do Mundo de 2010 pelos EUA

Em tarde de autógrafos realizada na terça-feira(03),  em um bar no centro de Boston, o New England Revolution apresentou o seu mais novo reforço, o brasileiro Benny Feihaber, de 26 anos, que atua como meio-campista e estava no AGF Aarhus da Dinamarca.

Nascido no Rio de Janeiro, Benny Feilhaber mudou-se para os Estados Unidos com seis anos de idade. Embora nunca tenha atuado pelo Botafogo, nunca escondeu sua paixão pelo time.

Por oito anos, Benny jogou pelo Scarsdale Lightning, equipe do subúrbio de Scarsdale, Nova Iorque,  onde conquistou a taça do New York State Cup, com apenas 12 anos de idade.  Quando ainda jogava pelo time da Universidade da Califórnia em Los Angeles, foi chamado para o Campeonato Mundial de Futebol Sub-20 de 2005, nos Países Baixos. Seu desempenho neste torneio despertou a atenção de dirigentes de equipes européias e estava no AGF Aarhus, da Dinamarca desde meados de 2008.

Suas primeiras convocações para a Seleção dos EUA foram em 2005 e 2006, ficando no banco de reservas em partidas amistosas contra Escócia e Alemanha. Fez a sua estréia oficial em 25 de março de 2007, contra o Equador e marcou seu primeiro gol contra a China, em 2 de junho do mesmo ano.  O brasileiro ainda disputou a Copa América de 2007, na Venezuela, e os Jogos Olímpicos de Verão de 2008, com o time sub-23 dos Estados Unidos, em Pequim.

 Em 2009, esteve na Copa das Confederações, na África do Sul, onde jogou, pela segunda vez, contra o Brasil, e quase marcou, com uma bola na trave. Na Copa do Mundo FIFA de 2010, constou na lista dos 23 jogadores convocados por Bob Bradley, em equipe que terminou em primeiro lugar do Grupo C,  e que foi eliminado nas as oitavas-de-final.

Torcedor do Botafogo, o meia foi noticia na mídia Brasileira por receber de presente, uma camisa do clube carioca pelo goleiro Jefferson, destaque do clube e reserva da seleção, após o amistoso entre as duas seleções, no dia 10 de agosto de 2010.

Agora no New England Revolution, Benny pretende trazer a habilidade e a técnica brasileira pra dentro de campo. “O futebol norte-americano é mais tático, muito voltado para o passe e o jogo aéreo. O brasileiro é mais criativo e individual. São bem diferentes, mas é justamente esse  contraponto que dá um diferencial no desempenho do grupo” afirma ele, em entrevista ao BT. Benny se mantém confiante que contribuir para tirar o time de uma campanha fraca até esse momento, onde ocupa a sexta colocação. “ Sei que temos deficiências e que devem ser trabalhadas no treinamento diário, mas ainda estamos com o foco de chegar nos playoffs, e quem sabe levar a taça de campeão” afirma ele.

Sobre a oportunidade de ter jogado contra a seleção brasileira na Copa das Confederações em 2009, Benny afirma que ficou dividido mas que agiu com a razão mais do que com o coração. “ Tenho família nos EUA e no Brasil, então o coração ficou dividido entre os meus familiares. Eu defendo os EUA, embora seja muito orgulhoso de ser brasileiro” completa o jogador, que foi recepcionado por dezenas de fãs em um bar em Boston – MA.

Fonte: (da redação)