Publicado em 10/07/2011 as 12:00am

Argentino se infiltra na torcida brasileira e conta impressões

A experiência de seguir de perto torcedores brasileiros no empate por 2 a 2 contra o Paraguai pela segunda rodada da Copa América deixou um argentino com imagens diferentes nos 90 minutos disputados. Euforia, alegria, bronca, tristeza e desabafo cercaram

A experiência de seguir de perto torcedores brasileiros no empate por 2 a 2 contra o Paraguai pela segunda rodada da Copa América deixou um argentino com imagens diferentes nos 90 minutos disputados. Euforia, alegria, bronca, tristeza e desabafo cercaram os torcedores brasileiros no Estádio Mario Alberto Kempes.

O local estava tomado com um colorido de branco e vermelho nas arquibancadas, já que o Paraguai foi anfitrião no jogo contra o Brasil na segunda rodada do Grupo B da Copa América.

Um grupo de brasileiros comandou o apoio para uma ineficiente equipe de Mano Menezes na primeira etapa. Apesar da superioridade numérica dos paraguaios, os brasileiro se fizeram presentes no jogo.

"Lucas, Lucas, Lucas" foi o grito de guerra mais frequente nos torcedores. Diante da falta de criação, o público pediu a entrada do jovem como uma esperança de dar mais atitude à Seleção.

O gol de Jadson provocou o delírio, um barulho que cortou o imenso silêncio de um estádio tomado por paraguaios. Foram pequenos grupos de camisetas amarelas, dispersos nas mais diferentes tribunas, os que saltaram de alegria diante do primeiro gol na Copa América.

O intervalo para eles serviu para aproveitar as câmeras de TV brasileiras e mostrar as suas famílias que estavam bem, são e felizes por aproveitar a Copa América na Argentina.

A felicidade era tamanha que os brasileiros mais contidos foram contagiados pelos animadores de festa. Mas aos 10min do segundo tempo, veio o silêncio, com o gol de Santa Cruz e 12 minutos depois com o tento marcado por Haedo Valdez.

Os brasileiros passaram os minutos finais sentados golpeados e tristes enquanto escutavam "olé" a cada ação de perigo do Paraguai.

Se por alguma razão tentaram sair de suas cadeiras foi para criticar o elenco de Mano Menezes e recorrer ao insistente "Lucas, Lucas, Lucas", em um sinal de apoio a uma equipe que retribuía com pouco, quase nada.

Alguns decidiram retirar-se antes, decepcionados pelo que a Seleção ofereceu. Por outro lado, o mais fanáticos, os mesmos que se sentiram nocauteados pelos gols, não quiseram abandonar antes do tempo e torceram bastante até o último instante.

A substituição de Neymar provocou uma vaia geral e alguns poucos levantaram dinheiro, atribuindo o status de "mercenário" ao jogador.

O futebol, o esporte mais imprevisível de todos, sempre tem preparada uma surpresa que recompensou os fãs que continuaram no estádio. Fred fez 2 a 2 e aliviou os insultos contra a comissão técnica brasileira. Pouco a pouco e quase sem pressa, os brasileiros deixaram o estádio aborrecidos. E no final, dedicaram seus gritos para a bela paraguaia Larissa Riquelme, presente para torcer por sua seleção com um vestidos muito provocativo. O apagado empate com o Paraguai ficou para trás, e para eles o que importa é desfrutar da noite de Córdoba. 

Fonte: terra.com.br