Publicado em 21/07/2011 as 12:00am

Cielo está liberado para nadar

O presidente da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos), Coaracy Nunes Filho, afirmou que a liberação do campeão olímpico Cesar Cielo para disputar o Mundial de Xangai, cujas provas de natação começam neste domingo, foi o auge de emoção da s

O presidente da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos), Coaracy Nunes Filho, afirmou que a liberação do campeão olímpico Cesar Cielo para disputar o Mundial de Xangai, cujas provas de natação começam neste domingo, foi o auge de emoção da sua carreira. O atleta brasileiro não foi punido após julgamento da Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), que avaliou o caso de doping por furosemida no Troféu Maria Lenk, disputado em maio deste ano no Rio de Janeiro.

"Sem dúvida nenhuma, essa notícia da absolvição do nosso maior nadador de todos os tempos no Brasil foi a grande medalha de ouro não minha, mas do esporte brasileiro", afirmou o dirigente, que também demonstrou muita confiança em um desempenho espetacular da estrela brasileira nas piscinas chinesas.

"Tenho absoluta certeza de que agora o Cielo, com as medalhas que certamente vai ganhar aqui no Mundial, nos Jogos Pan-Americanos nem se fala, e também na Olimpíada de Londres, vai fazer uma movimentação maior, uma grande promoção da natação no Brasil", completou Coaracy.

Já o advogado contratado pela CBDA no caso, Marcelo Franklin, afirmou que não pode comentar detalhes maiores do processo até que o CAS divulgue a decisão completa, o que deve acontecer em 20 dias. Cielo, Henrique Barbosa e Nicholas Santos foram apenas advertidos, enquanto Vinícius Waked, que é reincidente, acabou suspenso por um ano.

Entenda o caso

O velocista Cesar Cielo teve resultado adverso para a substância proibida furosemida em um exame antidoping feito no Troféu Maria Lenk, realizado em maio, no Rio de Janeiro. Além dele, campeão olímpico e mundial, outros três nadadores brasileiros também foram flagrados: Nicholas Santos, Vinícius Waked e Henrique Barbosa.

De acordo com nota da CBDA, divulgada em 1º de julho, os envolvidos declinaram do direito de realização da amostra B e definiram com precisão como o diurético entrou no organismo, o que comprovou que não houve aumento dos seus desempenhos - fato que não ocorreu nesta competição. Desta forma, a entidade optou apenas por uma advertência aos quatro atletas uma vez que não foi identificada culpa ou negligência por parte deles no episódio. O próprio Cielo, em nota oficial divulgada posteriormente, disse que "em nenhum momento fui imprudente ou negligente ou usei de imperícia".

No entanto, a Fina (Federação Internacional de Natação) resolveu recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS) para tomar uma decisão se os quatro deveriam ou não ser punidos pelo uso da substância, seguindo as regras das leis antidoping da Fina. Os nadadores foram ouvidos em 20 de julho, em Sheshan, na China. Em seguida, o tribunal analisou os depoimentos e as provas para anunciar no dia 21 o resultado do julgamento.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) decidiu apenas manter a advertência dada pela CBDA a Cesar Cielo, Nicholas Santos e Henrique Barbosa. Somente Vinícus Waked, que é reincidente em caso de doping, foi punido. Menos badalado do quarteto, o nadador recebeu um ano de gancho. Ele já havia sido suspenso por dois meses em fevereiro de 2010, também por ingerir substância proibida.

Como os resultados dos quatro nadadores desde o Maria Lenk foram anulados, Henrique Barbosa e Nicholas Santos perderam a classificação ao Mundial, pois haviam feito os índices necessários para participar durante a competição no Rio de Janeiro. Cielo já estava classificado antes disso, enquanto Waked não obteve índice. Além do Mundial, Cesar Cielo está liberado para disputar a Olimpíada de Londres, em 2012.

Dos quatro flagrados no exame, apenas Henrique Barbosa não faz parte do P.R.O 2016 (Projeto Rumo ao Ouro), idealizado por Cielo com vistas a Olimpíada do Rio de Janeiro. O nadador é também um dos destaques do Flamengo. No Troféu Maria Lenk, competição na qual os atletas foram flagrados, Cielo foi surpreendido pelo compatriota Bruno Fratus na prova dos 100 m nado livre, uma de suas especialidades, ficando em segundo. No entanto, levou ouro nos 50 m livre, 50 m borboleta e nos revezamentos 4x50 m livre, 4x100 m livre e revezamento 4x100 m medley. Todos os resultados dele e dos outros nadadores flagrados na competição foram cancelados.

Menos conhecido entre os quatro nadadores, Waked, 23 anos, já havia sido suspenso por dois meses ainda neste ano por uso da substância isometepteno. Na época, ele se defendeu alegando que utilizou um remédio para dor de cabeça.  

Fonte: terra.com.br