Publicado em 7/08/2011 as 12:00am

Jejum de gols da dupla de ataque derruba rendimento do Palmeiras no Brasileiro

Você lembra quando foi o último gol de Maikon Leite pelo Palmeiras no Campeonato Brasileiro? E de Kleber? Faz tempo. Coincidência ou não, desde que os dois principais atacantes entraram em jejum de tentos, o Palmeiras teve uma queda de rendimento na compe

Você lembra quando foi o último gol de Maikon Leite pelo Palmeiras no Campeonato Brasileiro? E de Kleber? Faz tempo. Coincidência ou não, desde que os dois principais atacantes entraram em jejum de tentos, o Palmeiras teve uma queda de rendimento na competição.

Kleber e Maikon decidiram ou ajudaram a decidir com gols quatro jogos do time alviverde no Nacional. Mas nenhum dos dois atacantes voltou a balançar as redes nas últimas seis partidas do Palmeiras, e curiosamente a equipe venceu apenas dois duelos desde então, perdendo um e empatando outros três.

O camisa 7 teve um início arrasador no clube de Palestra Itália, fazendo dois gols em seus três primeiros jogos com a camisa alviverde. Mas parou por aí. Desde a vitória sobre o Santos por 3 a 0, no dia 10 de julho, que Maikon amarga uma escassez incômoda.

O jejum de Kleber é maior ainda. Já são 10 rodadas sem fazer um gol sequer, lembrando que neste período o atacante ficou fora de três jogos por lesão e de um por suspensão. Mesmo tirando essas partidas, são seis confrontos e nenhum tento.

Contra o Grêmio, no último sábado, mais uma vez a dupla passou em branco, e pior do que isso, teve um desempenho bem abaixo do esperado. Ao todo, Kleber e Maikon Leite finalizaram seis vezes, mas a bola não saiu em direção ao gol em nenhuma das oportunidades, segundo números do Datafolha.

Apesar das estatísticas, o técnico Luiz Felipe Scolari tratou de poupar seus atacantes, sobretudo o ‘Gladiador’.

“Ele nunca foi o maior goleador onde jogou, sempre foi participativo, um jogador que fazia gols normais e ajudava a equipe em todos os momentos. Ele continua fazendo isso no Palmeiras, e bem”, destacou o treinador. “Não é só ele que tem que fazer gols. Estou contente, porque, embora não tenha feito gols nesses jogos desde que voltou, a participação dele é boa”.

Ainda assim, Felipão admitiu que sua equipe tem que errar menos nas conclusões. “Nós estamos fazendo aquilo que é possível dentro das características dos jogadores. Nos tínhamos uma das melhores equipes em chutar a gol, mas só chutar a gol não adianta. Continuamos trabalhando, vamos insistir no trabalho de finalização nos dias da semana que antecedem os jogos e vamos ver se a gente melhora”, concluiu o comandante.

Fonte: UOL.COM.BR