Publicado em 18/08/2011 as 12:00am

Henrique faz 2 e seleção sub-20 bate o México para decidir com Portugal

A seleção brasileira sub-20 bem que sofreu nesta quarta-feira para conseguir a classificação à grande final do Mundial na Colômbia, mas precisou de apenas seis minutos e da estrela do técnico Ney Franco para despachar o México. Com dois gols no final de H

A seleção brasileira sub-20 bem que sofreu nesta quarta-feira para conseguir a classificação à grande final do Mundial na Colômbia, mas precisou de apenas seis minutos e da estrela do técnico Ney Franco para despachar o México. Com dois gols no final de Henrique, que aproveitou as assistências de jogadores que entraram no segundo tempo, o Brasil venceu os mexicanos por 2 a 0 e agora decidirá o título no sábado, às 22h (de Brasília), contra Portugal.

Na final, o técnico brasileiro também não espera vida fácil, assim como já foi nos últimos jogos. “Portugal é uma equipe tradicional do futebol mundial e será difícil como foi contra Espanha e México”, comentou Ney Franco, que viu os portugueses vencerem a França por 2 a 0, com muito mais facilidade que o Brasil. Mesmo assim, o comandante reforçou que vai manter a estratégia de controlar o jogo no primeiro tempo e tentar arrancar a vitória na etapa final, com a entrada de jogadores velozes.

Na vitória suada, a equipe de Ney Franco demorou para entrar no jogo. Apesar de ser superior nos primeiros minutos, o Brasil era pouco objetivo no ataque, preferindo arriscar apenas chutes de fora da área. Assim, o goleiro Rodríguez ia espalmando algumas bolas e mantendo o zero no placar.

Joseph Blatter, presidente da Fifa, que estava nas tribunas do estádio em Pereira, viu o México criar a primeira chance real de gol. Com 13 minutos, Davila pegou a sobra na entrada da área e chutou para fora. Na próxima chegada mexicana, quem se deu mal foi o goleiro brasileiro Gabriel, que, em uma dividida, levou um chute no rosto de Torres. No lance, o mexicano não se esforçou para evitar o choque.

Mesmo com o olho direito bastante machucado, Gabriel seguiu na partida e começou a se destacar, principalmente no segundo tempo. Ainda na primeira etapa, o Brasil esboçou uma pressão, mas nem assim conseguiu criar chances claras. O México, por sua vez, chegou a marcar, com Torres, mas o gol foi anulado por impedimento.

Após um primeiro tempo em que os principais destaques do Brasil eram jogadores que vinham de trás, como Casemiro, a seleção voltou um pouco mais animada do intervalo, tentando fazer o ataque funcionar. Desorganizado, porém, o setor seguiu inoperante, enquanto o México crescia no jogo e começava a ficar mais perto do primeiro gol.

Depois de ver Gabriel salvar o Brasil em chutes perigosos de Piñon e Rivera, Ney Franco decidiu mexer novamente na equipe - no início do segundo tempo já havia trocado William José por Negueba. De uma vez, fez duas substituições, tirando o apagado Philipe Coutinho para a entrada de Dudu e sacando Gabriel Silva para colocar Allan no jogo.

Em poucos minutos, brilhou a estrela do treinador brasileiro. A seleção chegou a levar um susto em chute perigoso de Davila, mas as alterações logo se mostraram acertadas. Aos 35, Negueba cruzou para a cabeçada certeira de Henrique. O Brasil então seguiu atacando e matou o jogo. Aos 41, foi a vez de Dudu servir novamente Henrique na área e o atacante são-paulino novamente não desperdiçou. 

Fonte: UOL.COM.BR