Publicado em 27/04/2012 as 12:00am

Correios ganham briga na Justiça e obrigam time da várzea a abandonar o nome Sedex

Correios ganham briga na Justiça e obrigam time da várzea a abandonar o nome Sedex


Quando um dos times mais fortes da Cidade Tiradentes foi batizado, há dez anos, o nome escolhido deveria servir como homenagem. Com jogadores rápidos e habilidosos, a equipe sempre chegava rápido às vitórias, com a mesma velocidade do Sedex, serviço de entrega expressa dos Correios.

Esse nome, porém, virou um verdadeiro abacaxi para a equipe de futebol amador. Há três anos, os Correios tentam impedir que a Associação Esportiva Sedex, da zona leste de São Paulo, use o nome de seu serviço.

Em 2012, a empresa venceu. Vice-campeão da Copa Kaiser em 2010, o time foi obrigado a mudar de nome e atualmente é chamado de SDX, sigla de Sedex. A equipe está perto da classificação para a segunda fase da Kaiser 2012 e precisa apenas de um empate para garantir a vaga.

“O time tem dez anos, mas só começamos a disputar a Copa Kaiser há quatro. Como é uma competição que recebe destaque maior do que o normal para o futebol amador, os Correios começaram a reclamar. Acabaram entrando na Justiça para proteger a sua marca”, explica o advogado Carlos Eduardo Ferreira, dirigente do clube.

Segundo ele, a disputa jurídica durou três anos, mas poderia ter sido ainda mais longa. “Nós sabíamos que eles eram os donos do nome, mas estávamos tentando alongar o processo. Eles chegaram, inclusive, a conseguir a penhora de bens de um dos membros da diretoria, que era presidente na época. O valor penhorado foi de R$ 1.500,00, que é simbólico para os Correios, mas uma soma importante para quem é da Cidade Tiradentes”, lembra Carlos.

A vitória dos Correios veio quando a empresa mudou o foco de suas ações jurídicas. Os advogados passaram a envolver a Evidência, empresa que organiza a Copa Kaiser, no processo. “Se a ação continuasse a envolver só o Sedex e os Correios, conseguiríamos alongar o processo, mas quando foram para cima da Evidência, com multas muito altas, acabamos cedendo”.

Segundo Carlos, os Correios negaram qualquer tipo de acordo para que o time mantivesse o nome. “Eu fui a uma reunião com os Correios para tentar algum tipo de acordo, mas eles foram irredutíveis. Disseram que o apoio ao esporte já era feito com o patrocínio a confederações esportivas nacionais”, diz Carlos.

Em nota oficial, os Correios explicaram que a medida foi tomada para que o time de futebol amador não fosse confundido com um time oficial da empresa. “Como em todas as empresas, o uso de marcas é direito exclusivo do proprietário, inclusive protegido por legislação. Os Correios somente autorizam o uso de suas marcas por terceiro após análise da oportunidade mercadológica ou institucional. O uso indevido pode ser confundido com a marca de propriedade dos Correios e provocar confusões, associações indesejadas ou prejuízos de imagem”, diz a nota enviada ao UOL Esporte.

 Com a derrota na Justiça, o Sedex teve de correr para conseguir o novo nome. A equipe jurídica que tratou do caso foi buscar alternativas para o problema e encontrou a solução na sigla SDX. “Pesquisamos o termo e fizemos o registro, para não ter o mesmo problema. Mudamos toda a comunicação visual, mas com a torcida não temos o que fazer. Eles continuam gritando Sedex na arquibancada”.

Fonte: (da uol)