Publicado em 4/06/2012 as 12:00am

Popó nocauteia brasileiro naturalizado americano

Em uma declarãção, Michael disse que Popó estava gordo e não estava preparado para a luta e que teria que treinar muito para derrotá-lo. Mas não foi isso que o "campeão" mostrou nos ringues

da redação

O brasileiro Acelino 'Popó' Freitas se despediu dos ringues oficialmente com uma brilhante vitória na noite deste sábado. Ele derrotou por nocaute técnico no nono round o desafiante Michael Oliveira, de apenas 22 anos. Apesar de jovem, Michael Oliveira tem uma carreira que chama a atenção: em 18 lutas, esta foi apenas a primeira derrota do pugilista. O lutador é campeão latino dos pesos médios do Conselho Mundial de Boxe.

O combate deste sábado foi disputado pela categoria supermeio-médio (69,8kg), no Conrad Resort & Casino, no tradicional balneário uruguaio de Punta Del Este. Popó, que já foi tetracampeão mundial, não lutava desde 2007, e aceitou o desafio depois de um pedido do seu filho caçula.

Com o resultado, Popó - ex-campeão mundial dos superpenas e leves - encerra a carreira com 39 vitórias (33 nocautes) e somente duas derrotas.

"Dou a resposta da paz. Sou brasileiro e não desisto nunca. Estava parado no sentido de competir, mas não parado nos treinamentos. Falei para ele (Michael) que perdi um título mundial e continuei. A vida continua. O campeão não voltou, fez a sua despedida com chave de ouro", disse Popó.

"Ele (Popó) é o melhor que já vi. Graças a Deus tive essa oportunidade. Vou levar comigo para sempre. Ele já me ensinou hoje a ser campeão. Sei agora que a humildade leva muito longe", afirmou Michael.

A Luta

No início, Popó tomou o centro do ringue e implantou um ritmo veloz, com jabs de esquerda, além de diretos e cruzados com a direita. Receoso, Michael Oliveira girava ao redor do adversário para evitar os ataques. No primeiro round, não houve golpes contundentes.

Após o intervalo, Popó manteve a iniciativa das ações. No entanto, Michael Oliveira já parecia mais solto e conseguiu encaixar um contra-ataque perigoso de esquerda. A luta estava equilibrada.

A partir do terceiro round, Michael Oliveira demonstrava segurança em ficar parado na frente do ex-campeão mundial. Pouco antes do intervalo, Popó obteve seu melhor momento e, com um golpe de esquerda, balançou o adversário, que precisou se segurar nas cordas para não cair. Mas o árbitro, ainda assim, abriu a contagem.

No quarto round, Popó foi com fome em busca do nocaute, mas não conseguiu. Durante uma troca de golpe, o baiano chegou a sofrer um golpe baixo e, ainda assim, permaneceu com o controle das ações.

A partir do quinto round, Michael Oliveira mudou a tática e partiu para a iniciativa das ações. Só que encontrou um rival bem postado nas esquivas e principalmente consciente dos melhores momentos para o ataque.

No sétimo round, duas paralisações, para limpeza do ringue e em virtude de uma cabeçada de Michael Oliveira, esfriaram a luta. Mas Popó tratou de esquentar o clima e balançou o adversário em algumas oportunidades com uma série de golpes, situação que também foi vista no oitavo round.

No fim da luta, Popó esbanjava confiança e, como grandes campeões do passado, chegou a fazer uma "manivela" para provocar. No nono round, o baiano partiu para definir. Primeiro, derrubou Michael Oliveira, que ainda voltou, mas não suportou a segunda série de castigos. O árbitro paralisou o combate.

Fonte: Brazilian Times