Publicado em 27/06/2012 as 12:00am

Jade Barbosa não se apresenta à seleção por desacordo com contrato e está fora da Olimpíada

A ginasta Jade Barbosa não se apresentou à seleção brasileira feminina de ginástica artística nesta quarta-feira, no primeiro dia de treinamentos conjuntos no Rio de Janeiro, e está fora dos Jogos Olímpicos de Londres. Segundo Klayler Mourthé, supervisor

A ginasta Jade Barbosa não se apresentou à seleção brasileira feminina de ginástica artística nesta quarta-feira, no primeiro dia de treinamentos conjuntos no Rio de Janeiro, e está fora dos Jogos Olímpicos de Londres. Segundo Klayler Mourthé, supervisor de seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), a atleta se recusou a assinar um termo de compromisso obrigatório e não deu explicações maiores sobre a negativa.

Sem Jade e sem Gabriela Soares, que pediu dispensa médica, outras nove atletas se apresentaram no Centro de Treinamento de Ginástica, no Velódromo carioca: Daiane dos Santos, Daniele Hypolito, Adrian Gomes, Bruna Leal, Harumi de Freitas, Ethiene Franco e Leticia da Costa, que já estavam previamente convocadas, e Lais Souza e Priscila Cobello, que pediram autorização e puderam se integrar ao restante do grupo. Na sexta-feira, sete destas atletas serão escolhidas para fazer a aclimatação da seleção no exterior, visando aos Jogos. Apenas cinco, em lista a ser anunciada poucos dias antes da competição, disputarão a Olimpíada.

Nesta manhã, Jade Barbosa treinou no Flamengo, na Gávea, aparentando tristeza, e não quis falar sobre a ausência na apresentação da seleção. Questionada sobre a reportagem do UOL Esporte sobre o problema, Elizete Chagas, madrasta e assessora de imprensa de Jade, também não deu maiores explicações. "Não informaram nada pra gente, estou sabendo por você. Então, por isso, eu prefiro não falar sobre o assunto. Prefiro esperar para saber o que eles decidiram".

Klayler Mourthé explicou que cada atleta recebe um contrato de ajuda de custo e um termo de compromisso. Jade não quis assinar nenhum dos dois, mas é o segundo que a impede efetivamente de disputar a Olimpíada. A ginasta não teria concordado com cláusulas referentes ao uso do uniforme da seleção.

"Existem os termos que todos os atletas precisam assinar sobre uso de uniformes e marcas. Se assinar, ele pode participar do evento. Nesse termo, ele se compromete em vários pontos, como a utilização do uniforme da seleção. A gente veio, fez todas essas conversas sobre o termo e o contrato de ajuda de custo. Ela não concordou com o contrato, mas para participar dos treinamentos e dos Jogos Olímpicos, tem esse termo de compromisso. Ela não concorda com algumas cláusulas e não deu nenhuma satisfação à comissão técnica", descreveu Klayler.

O supervisor ainda negou que o problema tenha sido um desacordo entre o patrocinador pessoal de Jade Barbosa, o BMG, e o da CBG, a Caixa, que são instituições bancárias concorrentes. O atrito contratual entre os dois bancos já havia afastado Jade da seleção por quase dois anos, mas segundo Klayler, este problema já foi solucionado.

Embora os treinamentos da seleção no Rio de Janeiro vão se estender até a semana que vem, o supervisor da CBG informou que a chance de Jade se apresentar outro dia está praticamente descartada. Ele explicou que, além do desacordo contratual, a comissão técnica quer usar todos os treinos para sanar as últimas dúvidas e definir as sete atletas que viajarão para a aclimatação.

Fonte: uol.com.br