Publicado em 31/08/2012 as 12:00am

Brasileira se destaca no Jiu-Jitsu em Massachusetts

Adila Pereira, brasileira, nascida na cidade de Linhares, no Estado de Espírito Santo.

Adila Pereira, brasileira, nascida na cidade de Linhares, no Estado de Espírito Santo.

da redação

Protagonista de uma história de garra e determinação, Adila é a única mulher a ter fundado uma Escola de Jiu-Jitsu em Boston (1516 Central Street – Stoughton). Ganhadora do segundo lugar no mundial de Jiu-Jitsu em 2002, Campeã brasileira de Jiu-Jitsu em 2003, Campeã no Brasileiro Interclubes de Jiu-Jitsu em 2004, terceiro lugar no Campeonato Panamericano de Jiu-Jitsu em 2006, Campeã Estadual de Jiu-Jitsu por 4 anos consecutivos de 2002 a 2005, faixa preta pela Confederação Brasileira e Internacional de Jiu-Jistu CBJJ, diplomada pela Federação de Massachusetts MASS BJJF.

Adila começou a treinar em 1998, na escola Maguila Jiu-Jutsu, em sua cidade natal. Em 2006 veio a primeira vez para os Estados Unidos para competir o Campeonato Panamericano de Jiu-Jitsu, onde ganhou em terceiro lugar. Em 2009, ela voltou aos Estados Unidos, com um único objetivo, aprender o idioma e também pela experiência internacional, que acrescentaria muito a sua carreira profissional e atlética ao retornar para o Brasil. Investiu durante um ano em estudar inglês, sempre conciliando seu tempo, para continuar a praticar Jiu-Jitsu nas Escolas Cesario Jiu-Jitsu e a Escola Team Link Jiu-Jitsu. Adila nunca fez planos de morar nos Estados Unidos, até receber uma proposta de trabalho em uma Academia que mudaria de vez os seus planos. Neste foi chamada para ministrar aulas na Academia Elite Fitness (Stoughton), por 2 anos.

Durante este período, Ela conseguiu enxergar a oportunidade de ter o seu próprio negócio, pelo bom resultado e empenho que obteve através do seu trabalho, principalmente pelo carinho e reconhecimento dos seus alunos. Em 2010 deu início a sua nova fase como Fundadora da Escola de Jiu-Jitsu ABBJJ, contanto com a colaboração do Instrutor faixa Marrom Washington Moraes. Adila conta que não foi fácil no início, pela dificuldade com o idioma, mas as coisas aconteceram naturalmente devido a sua persistência e nunca desistir. Hoje ela tem 30 alunos, de ambos sexo, crianças a partir de 4 anos de idade e adultos.

Logo no primeiro ano, em 2010, teve participação no Campeonato Caxcudo, com apenas dois alunos, David e Alex, ambos ganharam em primeiro lugar.

Fonte: Brazilian Times