Publicado em 4/10/2012 as 12:00am

Romário critica apagão: "feio e humilhante"

O deputado federal Romário (PSB-RJ) diz que "não poderia deixar passar em branco a vergonha de ontem", conforme classifica o cancelamento da partida de volta do Superclássico das Américas, entre Argentina e Brasil, e por isso publica em seu site uma nota

O deputado federal Romário (PSB-RJ) diz que "não poderia deixar passar em branco a vergonha de ontem", conforme classifica o cancelamento da partida de volta do Superclássico das Américas, entre Argentina e Brasil, e por isso publica em seu site uma nota sobre o assunto. O jogo estava marcado para acontecer na noite desta quarta-feira no Estádio Centenario, em Resistencia, mas ao final não foi realizado pela falta de luz artificial.

Em nota veiculada em seu site oficial na tarde desta quinta, o ex-atacante cita vários astros do passado e do presente da Seleção para afirmar que a equipe tem muita "tradição" e que agora "estamos vendo um desacato, uma falta de respeito e de consideração" com o time verde e amarelo.

"Infelizmente na era Ricardo Teixeira já tínhamos passado por alguns vexames, aconteceram jogos em alguns lugares com adversários que não nos levaram a nada e também não somaram nada ao nosso currículo", escreve Romário.

"A Argentina é um dos grandes adversários que temos, agora jogar em um campo onde são disputadas partidas de segunda, terceira e quarta divisão é um desrespeito total com a nossa tradição", emendou.

Após vencer a partida de ida do Superclássico, em 19 de setembro, em Goiânia, por 2 a 1, o Brasil jogaria no Estádio Centenario, que pertence ao Club Atlético Sarmiento, da quarta divisão argentina. Ainda não se tem certeza sobre o motivo da falta de luz: especula-se um curto-circuito no sistema de iluminação do local.

"Venho pedir ao presidente atual (da CBF) José Maria Marin que não nos deixe mais passar por isso, é feio, desrespeitoso, humilhante", prossegue Romário. Um dos principais críticos do atual técnico da Seleção, Mano Menezes, o ex-jogador afirma ainda que isentaria o treinador de culpa pela situação, mas ao mesmo tempo ressalta: "tenho certeza de que se fosse o (Mário Jorge Lobo) Zagallo, Telê (Santana), (Carlos Alberto) Parreira, Felipão (Luiz Felipe Scolari) e alguns outros, no mínimo, iriam conversar com o presidente da CBF para o jogo não ser realizado nesse tipo de campo".

Por fim, Romário critica o atual momento da equipe nacional, que nesta semana caiu para a pior colocação da história no ranking da Fifa, a 14ª, "atrás de Uruguai, Colômbia, Grécia e Croácia", conforme frisa o deputado federal.

"Presidente José Maria Marin, o senhor começou tão bem e eu continuo acreditando no senhor, não decepcione o povo brasileiro, tenha força, coragem, capacidade, sabedoria para continuar com essa seleção até 2014 com honradez. Recoloque a Seleção Brasileira no número 1 do ranking, que é o seu devido lugar, o topo. Essa posição no ranking é uma vergonha. Faça aquilo que o senhor acha que é certo e mude o que tem que mudar", diz Romário, que também dá um último recado a Mano Menezes.

"Independente de qualquer coisa, você como treinador da Seleção tem a obrigação de convocar os melhores do momento. Então vai o pedido de uma pessoa que conhece da posição (atacante): dê novas chances ao Fred e ao Vágner Love, esses jogadores já tiveram oportunidade de vestir a camisa da Seleção Brasileira e conhecem o peso e a responsabilidade do que ela significa", afirma, com relação aos atletas respectivamente de Fluminense e Flamengo.

Fonte: terra.com.br