Publicado em 13/03/2013 as 12:00am

Após pressão da torcida, Valdivia se torna muito participativo

Alvo de revolta de uma torcida alviverde desde o jogo com o Tigre, Valdivia foi muito participativo e eficiente no clássico contra o São Paulo. Só não acertou o pé na hora de finalizar para o gol. É o que mostram os números do Datafolha.

Alvo de revolta de uma torcida alviverde desde o jogo com o Tigre, Valdivia foi muito participativo e eficiente no clássico contra o São Paulo. Só não acertou o pé na hora de finalizar para o gol. É o que mostram os números do Datafolha.

O meia palmeirense deu 44 toques na bola, menos apenas do que o lateral-esquerdo Juninho. Como articulador da equipe, ele tem que arriscar mais os passes. Por isso, errou bastante, com nove falhas no total. Mas, nos lançamentos, acertou todos os quatro que tentou durante a partida.

Outros números mostram como ele teve bastante movimentação: fez dez desarmes, mais do que o volante Charles. Seu número de bolas roubadas só é menor do que os de defensores. Valdivia também esteve bastante presente à frente, com três finalizações. O problema é que não acertou nos arremates: errou as três.

"Era um jogo que eu tinha de superar e ganhar. Nao foi assim, então fica para quinta-feira", contou o Valdidia, reconhecendo a importância de mostrar à torcida sua disposição de jogo. Ele também exaltou a torcida palmeirense e pede cooperação dela com jogadores.

O meia foi pivô da confusão entre jogadores do Palmeiras e membros de organizadas em Buenos Aires, após jogo com o Tigre, pela Libertadores. Os torcedores pretendiam atingi-lo quando arremessaram uma xícara que atingiu o goleiro Fernando Prass. Um dos integrantes da torcida alegou que o chileno fizera gestos obscenos para eles, após receber cobranças no aquecimento no campo.

Agora, a intenção de Valdivia é se recuperar. "A gente não fica feliz, eu, pelo menos, porque para mim era um jogo especial, por tudo aquilo que aconteceu. Eu queria ganhar, queria uma vitória."

Fonte: uol.com.br