Publicado em 25/04/2013 as 12:00am

Pelé defende Neymar e ataca Romário: 'Perdoo os ignorantes'

Em evento que oficializou aposentadoria a campeões mundiais, Rei afirmou que Neymar não pode resolver sozinho e rebateu ataques do deputado


As vaias a Neymar no fim do empate por 2 a 2 entre Brasil e Chile não foram bem recebidas por Pelé. O maior jogador de todos os tempos não concordou com a torcida, que gritou “olé” quando o Chile tocou a bola e chamou o craque santista de pipoqueiro. Em um evento nesta quinta-feira, no estádio do Morumbi, para oficializar prêmios e aposentadoria aos campeões mundiais, o Rei isentou Neymar de responsabilidade e voltou a criticar o conjunto da Seleção.

- O Neymar não tem culpa nenhuma. É um jogador só. Volto a dizer, o Corinthians foi campeão sem ter um grande jogador, um craque. O Santos quando ganhava não era o Pelé, tinha três ou quatro jogadores que resolviam uma partida. O Barcelona sempre teve muito conjunto nos últimos anos, eram grandes jogadores juntos.

Recentemente, Pelé usou o exemplo do Corinthians e defendeu que a equipe treinada por Tite, atual campeã da Libertadores e do mundo, fosse a base da seleção brasileira, já que tem um entrosamento invejável.

A declaração causou polêmica e uma resposta de Romário. O deputado federal voltou a dizer que “Pelé calado é um poeta” e que o ídolo santista “estava falando m...”. Nesta quinta-feira, o Rei usou a religião para rebater o desafeto.

- Ele fica falando porque não sabe muito bem o que quer. Sempre fui muito católico, e Deus dizia que perdoava os ignorantes. Então eu também perdoo os ignorantes.

No evento, Pelé defendeu a utilização de um time como base da Seleção para a Copa das Confederações. Segundo ele, em sua época, havia mais equipes bem armadas do que hoje em dia e isso se reflete também na Seleção. Como exemplo positivo, ele citou a troca de passes entre Ronaldinho, Jadson, Alexandre Pato e Neymar no segundo gol brasileiro, marcado pelo atual craque santista, mas alertou.

- Aquilo tem de acontecer sempre, não de três em três anos como temos visto.

Críticas à parte, Pelé garantiu que confia no trabalho da comissão técnica formada por Luiz Felipe Scolari e Parreira e se lembrou da Copa do Mundo de 1970, quando diziam que ele, Tostão, Gerson e Rivellino não poderiam jogar juntos. O Rei espera que Felipão não ouça esse tipo de reclamação e escale os principais atletas. O técnico já deixou claro que dificilmente Kaká e Ronaldinho atuarão na mesma equipe.

A torcida que compareceu ao Mineirão no amistoso da última quarta-feira também foi alvo de Pelé, que destacou o fato de o Chile ser um time mais organizado.

- Não era só o Neymar (que não merecia vaias). O Brasil não merecia escutar olé. O Chile é um time organizado, e de repente o torcedor é pego de surpresa. Quem vai ao estádio tem de auxiliar, apoiar.

Fonte: www.globo.com