Publicado em 27/04/2013 as 12:00am

Bernardo, 'Heleno do Vasco': talento no pé e pura instabilidade na cabeça

De comportamento imprevisível, jogador acumula problemas em todos os clubes da carreira. 'Ele virou outra pessoa quando foi para o Rio', diz ex


Campeão da Copa do Brasil e vice-campeão brasileiro, Bernardo era um dos jogadores mais festejados do Vasco no fim de 2011. A principal aposta que vingou. Após o empate com o Flamengo, na última partida daquele Brasileiro, elenco, comissão técnica, dirigentes e alguns conselheiros foram comemorar o fim da temporada numa churrascaria. Depois de algumas horas no local, o jogador - artilheiro do time, mesmo na reserva, com 18 gols - foi de mesa em mesa pedir aos responsáveis pelo clube que o contratassem de vez.

- Não me deixem voltar para o Cruzeiro, por favor, por favor. Eu quero ficar aqui - avisava.

Menos de dois meses depois - e quase R$ 4 milhões pagos pelo Vasco ao Cruzeiro para adquirir os direitos econômicos do jogador -, acontecia uma reunião na sala do diretor de futebol do Vasco, Daniel Freitas, hoje no Náutico. Além dele, o presidente Roberto Dinamite, o vice-presidente Antônio Peralta e o vice de futebol José Hamilton Mandarino assistiram estarrecidos a um choro copioso de Bernardo. Dias antes, ele entrara na Justiça contra o clube, por atraso no salário e no depósito do FGTS.

- Foi só mais um episódio de completo desequilíbrio emocional do Bernardo. Ele chorava copiosamente, lamentava o que tinha feito, dizia que se sentia pressionado pelas dificuldades na família - lembrou um dos personagens que presenciaram a cena do início de 2012.

Na ocasião, chegou a São Januário a informação de que Bernardo entrara com um processo pressionado por dívidas com traficantes e um agiota da Ilha do Governador, acumuladas por causa dos atrasos salariais. Pouco tempo antes, ele havia comprado uma casa para os pais em Sorocaba (SP). Aos 21 anos e sem muitas reservas econômicas, contava principalmente com o dinheiro das luvas relativas ao novo contrato com o Vasco para quitar o investimento e manter as contas em dia. De acordo com pessoas próximas, o atraso do clube no pagamento mexeu com o lado emocional do jogador, que, além de já ser pai de três filhos, estava em processo de separação com a esposa, então grávida novamente.

O caso reforça um pouco a imagem de garoto-problema. Bernardo, com quatro filhos de dois casamentos, leva ao longo da carreira um histórico de indisciplina e confusões, alternando com um largo sorriso de quem não faz por mal. Passou por todas as seleções de base - sub-15, sub-17 e sub-20 -, sempre com seu estilo marcante: muita entrega em campo, em meio a um jeitão meio tresloucado, além de ser um exímio cobrador de faltas.

Fonte: www.globo.com